terça-feira, 30 de abril de 2013

CNN


O nosso embaixador oferecera um almoço a uma importante personalidade de visita àquela capital. Por várias vezes, durante a conversa, o visitante referiu que a sua filha fazia um estágio na CNN, em Atlanta. O relevo que ele dava a esse simples facto começou a irritar-me. Na boca exagerada do babado pai, a jovem estava já a caminho seguro para um estrelato mediático à escala universal. 

Dei por mim a comentar:

- Também tenho na família uma pessoa que trabalhou na CNN. Mas já foi há muito tempo.

E mais não disse. Mas a conversa mudou de rumo.

Quando ficámos a sós, o embaixador comentou:

- Você nunca me tinha dito que tinha tido um familiar na CNN.

- Foi a minha cunhada. Trabalhou por lá há bastantes anos, na CNN, na Companhia Nacional de Navegação...

7 comentários:

Isabel Seixas disse...

Oh!!!Coitado do senhor todo contente...

Anónimo disse...

Ao tempo que que o Senhor Embaixador não tinha uma destas! É bom não deixar esmorecer o seu finíssimo sentido de humor. Estando "lá em baixo" é uma característica que o vai ajudar a aguentar ""a parada". Mantenha-se assim.

Anónimo disse...

Eh!Eh!Eh! Excelente!

Luis Miguel Correia disse...

A Companhia Nacional de Navegação existiu de 1918 a 1985, entrando em liquidação em Maio desse ano. Prestou bons serviços ao País e sucedeu à Empresa Nacional de Navegação (1880 a 1918) que por sua vez teve na sua constituição inspiração na companhia União Mercantil de 1857. Utilizaram todas a mesma bandeira azul e branca. O emblema que apresenta foi concebido para comemorar o centenário da Nacional em 1980 (ENN /CNN). Em 1968 tinha sido comemorado o cinquentenário. Ninguém comemorou a liquidação, inspirada na segunda varredura do FMI em Portugal. Hoje, sem Marinha Mercante que se veja perdemos 50 mil empregos no sector, directos e indirectos e gastamos "oficialmente" 500 milhões de euros por ano a pagar a utilização de navios estrangeiros. Digo "oficialmente" porque penso que a realidade é pior ainda.

Anónimo disse...

por falar em cnn

deixe-me so felicitar os nossos governos pela paz e harmonia que ajudaram a dar a libia e a siria e a todos os barbies que por la andam

parabens...








Helena Sacadura Cabral disse...

Ai! a maldadezinha...e o que ela me fez rir.
Estou numa fase em que só me rio das maldades...porque a realidade ultrapassa a ficção!

Anónimo disse...

A CNN... Que boa gargalhada dei! Também andei pela CNN... Em Setembro de 1950 e em Dezembro de 1956, numa ida e num regresso e Angola, onde muito jovem vivi e convivi com crianças africanas, sem objecções de etnias... Quando se vê ou ouve alguém a dar ênfase a "pergaminhos", muitos deles irrelevantes, como sabe bem arrasar com uma saída como a sua. Nos idos dos anos 60 do século passado, jovem finalista do secundário, lembro-me de uma colega do colégio feminino, homólogo do meu, se ter apresentado (era hábito então...)dizendo o nome e o apelido, dizendo que era Netto com 2 t. Aí saiu-me de imediato dizer ... Ferreira, com 3 "erres" como era óbvio. Pareceu-me, então, que não achou graça...
José Honorato Ferreira