sábado, 2 de fevereiro de 2019

Os primeiros amigos


Hoje, deu-me para olhar, com alguma curiosidade, sobre quem tinham sido as primeiras pessoas a comentar o post inicial publicado neste blogue, há precisamente dez anos. 

Nesses treze correspondentes descortinei vários amigos pessoais que, nos dias de hoje, encontro com alguma frequência: Leonor Xavier, António Serras Pereira, Renato Leitão e, com menos regularidade, Ana Hudson, que vive nas terras do Brexit. 

Com Paulo Roberto de Almeida, um diplomata brasileiro com vasta e importante obra publicada, “cruzo-me” até hoje por via informática. 

Já com Silvino Potêncio, um transmontano que vive no Rio Grande do Norte, o contacto tem sido mais esparso. 

Não estão há muito connosco Paulo M. A. Martins, jornalista português que morreu no Ceará e com quem convivi no Brasil, bem como Florindo Miranda Ventura, figura destacada da comunidade portuguesa em Paris, com quem, infelizmente, o meu contacto em França acabou por ser breve. 

Há ainda mais cinco nomes de “amigos” virtuais: Dulce Dias, jornalista portuguesa que residia em França, o anónimo PLC, que habitava em Paris, uma correspondente luso-francesa chamada Elsa, que tinha o blogue franceportugal.over-blog.com, que deixou de se publicar há três anos, Leonel Vicente, que ainda coordena o nabantino Memória Virtual, e Victor Passos, de Viana do Castelo. Que será feito destas pessoas, uma década depois?

2 comentários:

Anónimo disse...

Caro embaixador

passaram para o facebook
https://www.facebook.com/Ass-France-Portugal-Europe-1575547032737062/
https://www.facebook.com/elsa.godfrin

cmpts

Dulce Dias disse...

Olá olá!

Avisada pelo Rui Dias, aqui estou eu a dar notícias!!
E honrada por ser uma das primeiras "amigas" do Duas ou três coisas!!

Continuo em Lyon, continuo na Euronews...
Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades
E também eu me mudei para o Facebook, o Twitter e o Instagram...

https://www.facebook.com/dulce.dias
https://twitter.com/DulceDias
https://www.instagram.com/dd_dulcedias/

Por vezes, contudo, sinto que os "velhinhos" blogs tinham mais sumo e menos fel que as novas redes sociais.

Um beijinho-bloguista

DD