terça-feira, 30 de outubro de 2018

O mistério da capela


Até 1953, existiu, no "promontório" do Pioledo, em Vila Real, a capela de Santo António. 

Santo António continua a ser o padroeiro da cidade.

A capela, que se sabe ter sido erigida por subscrição popular, era de meados do século XVI, tendo, desde então, sido sujeita a várias reformas. Não seria uma obra prima da arquitetura religiosa, mas tinha a sua graça, como a imagem mostra.

Sabe-se que um dia, em 1953, a capela foi derrubada, ao que consta, com o pretexto do seu estado de degradação. As suas pedras terão tido destinos vários. As telas e retábulos foram, ao que parece, para o seminário diocesano.

A desaparição da capela de Santo António sempre me intrigou, desde criança. Conhecia-lhe a imagem e o local e recordo-me de, ao longo dos anos, ter inquirido várias pessoas sobre o assunto. Ninguém sabia de nada! A razão por detrás da decisão de destruição da capela era um mistério. Se, como alguns aventam, havia intenção de a reconstruir noutro local da cidade, então talvez tivesse sido mais barato melhorá-la...

Constato que houve sempre, em Vila Real, uma espécie de tabu em torno da desaparição da capela seiscentista do Pioledo. Posso estar errado, mas sempre tive a sensação de que a destruição da capela foi um ato municipal, de que ninguém queria falar, para evitar "macular" a imagem da figura que tomou a infeliz - e autoritária - decisão. Um "grilo" canta-me isto, mas não posso provar.

Alguém saberá alguma coisa sobre isto? Fica esta fotografia, aa autoria de José Aguilar (pai).

5 comentários:

dor em baixa disse...

E a linda casa que está ao lado, com a sua linha de janelões magníficos, também terá sido sujeita à sanha da demolição? Espero que não se aplique o ditado de que uma desgraça nunca vem só.

Francisco Seixas da Costa disse...

A casa foi derrubada há muito. Hoje há apenas por ali um imenso e feíssimo prédio, dos anos 70. É a vida!

Luís Lavoura disse...

Se [...] havia intenção de a reconstruir noutro local da cidade, então talvez tivesse sido mais barato melhorá-la...

Diz a experiência de muitas pessoas, entre as quais o meu pai, que fica (quase sempre) mais barato construir de raiz do que melhorar uma construção já existente.

Anónimo disse...

A parte da frente da capela , com as colunas , era bastante bonita á semelhança de muitas outras que ainda hoje , felizmente , existem... que pena não terem «  arranjado «  o corpo da capela .
É a vida .

Pedro de Souza disse...

Os crimes que se cometem por esse Portugal afora! Que interessante conjunto de arquitectura popular (a capela), erudita (a galilé- pelo menos é o que parece ser), e a bela mansão ao fundo. Esses conjuntos é que fazem a riqueza da cultura de um país. Basta viajar alguns quilómetros, até França ou Itália para ter a certeza disso. Aqui a riqueza consiste em destruir... e construir no lugar uma obra igual a qualquer obra de subúrbio em qualquer país, um sucedâneo de bairro da lata.