segunda-feira, 22 de outubro de 2018

Os tempos de Cavaco

Não há, em tese, uma distância temporal mínima para se escreverem memórias. Mas relatar conversas políticas sensíveis, decorridas há menos de três anos, sem a anuência dos interlocutores, parece-me uma manifesta falta de sentido de Estado. Agora posso perceber melhor a expressão “período de nojo”...

14 comentários:

Carlos Fonseca disse...

E, falando no nojo...

(A velhice prega destas partidas: esqueci-me do que ia escrever)

Anónimo disse...

Não ligue. É do Alzheimer.

Anónimo disse...

Período de nojo? o homem sabe lá o que isso é. Os visados, deveriam responder-lhe à letra, tal como recentemente, o fez o seu sucessor, a propósito de uma triste atitude de grande falta de sentido de Estado, por pura mesquinhez pessoal. Á mim, só me resta a limitada consolação para que a redação, a fingir de livro, fique nas bancas.

Anónimo disse...

Nojo é sermos mal governados e ver tanto corrupto à solta isso sim é nojo.

Anónimo disse...

Caro Francisco,

Não estou nada admirado. Esta criatura passou à história com “h” pequeno. Cada vez que fala ou escreve, dá mostras de mesquinhez, de frustração e de vaidade.

Um abraço

JPGarcia

Francisco de Sousa Rodrigues disse...

Falando de um narcísico altamente invejoso, nada será de admirar.
Como diria o meu avô materno, cavacos só aqueles de por na fogueira.

Anónimo disse...

O "sucesso" (?)de António Costa (empurrar os problemas com a barriga) reflecte a capacidade de que a oligarquia política socialista continua a dispor, numa sociedade envelhecida e dependente, de fazer pagar por todos o que só beneficia alguns.

Luís Lavoura disse...

Já ninguém liga ao Cavaco, acho. O gajo está velho, teimoso, ronha, maldoso, e já não se enxerga. O melhor é deixa-lo a falar sozinho, como o Velho do Restelo.

Anónimo disse...

Lido.


Despacho:

Conmcordo plenamente.

Deferido

Jaime Santos disse...

Parece que não é só o Cavaco que precisaria de um período de nojo justamente para não meter nojo (e mesmo assim, não sei)... Mas pelo menos ele assina o que escreve.

disse...

Não me parece que ele tenha dito nada que não fosse já sabido ou adivinhado. É um homem conservador e isso não está na moda. Cai na tentação da conversa do "eu avisei" que, claro, não lhe fica bem. Nunca soube ter a força das suas convicções: um presidente pusilânime, sem rasgo nem génio, que não soube defender Portugal da tragédia da governação Sócrates e dos desaires mais neoliberais do governo Passos Coelho.

reaça disse...

A falar claro e simples, é que o povinho o compreendeu e o elegeu tantas vezes.

Anónimo disse...

O homem devia estar caladinho, mas não se enxerga, pois quer mostrar que sabe escrever. Mas o que escreve, não tem conteúdo. Os recalcamentos, dão-lhe, é para dizer mal dos outros. Assim, pensa que se acha importante. Saiu de Boliqueime, mas Boliqueime, não saiu dele. Denotou sempre, ser uma pessoa,ruim, vingativa, ressabiada. Enfim, um limitado e mesquinho troglodita!.

A Nossa Travessa disse...

Meu caro Franciscamigo

Já o escrevi: é o pior "PR" desde o Tomás (incluindo este).

Abração do teu amigo e admirador
Henrique, o Leãozão