terça-feira, 27 de outubro de 2015

O breve governo

É de destacar que tenha havido pessoas, fora do serralho do anterior executivo, que se disponibilizaram para integrar o novo governo de Pedro Passos Coelho. Não deve ser fácil a figuras de algum relevo profissional abandonarem o sossego dos respetivos lugares e sacrificarem-se a integrar um governo com "morte anunciada", daqui a breves dias. Ponho porém essa atitude mais a crédito das convicções e bastante menos a uma atitude à D. Luiza de Gusmão, que terá afirmado que "vale mais ser rainha por um dia do que duquesa toda a vida".

5 comentários:

António Azevedo disse...

É a sina do Povo o "custe o que custar"!
Até aqui foi aplicar o programa da "troica" custe o que custar. A partir daqui é, ir para o governo custe o que custar!
Em ambos os casos o Povo foi ou vai ser posto de lado!
Qualquer governo teria defeitos. A Cristas incomoda-me. Deu cabo de uma Instituição! Cristas só de galo com o toucinho do céu! Essas sim!
Mas do lado esquerdo nada ainda! Só aparentam querer ir para o governo custe o que custar! E umas inaugurações de umas salas de chuto em Lamas de Ôlo pela secretária de Estado Mariana Mortágua!

Bonito!

antónio pa

septuagenário disse...

Está tudo ansioso, até Cavaco e Passos, para ver o comportamento do trio maravilha Costa, Catarina e Comunistas, CCC.

Isabel Figueira disse...

Desconheço quais as contrapartidas que vão receber por se calhar nem aquecerem os cadeirões. Refeições gourmet em São Bento isso já sabemos todos. Carro topo de gama com motorista 24 horas por dia, viajar em 1st class. E o salário? E será que vão ter direito à reforma (milionária)?
Eu acho que é um bocado "vira o disco e toca o mesmo"

Antonio Cristovao disse...

As despesas com este faz de conta parlamentar, não seria evitáveis se os lideres tivessem palavra,seriedade e dizerem ao que vêem, e passando a formação dum governo que vai ser aprovado. Como cidadão contribuinte , parece-me mal andar a pagar impostos para serem gastos em palhaçadas de faz de conta.Claro que os intervenientes se devem defender bem, tudo de certeza bem previsto.

João Pedro Garcia disse...

" Mais vale morrer reinando do que viver servindo". Terão sido estas as palavras de Dona Luísa de Gusmão, o que não é exactamente a mesma coisa... Até talvez sejam mais adequadas - a António Costa quando formar governo.

Um abraço

JPGarcia