sexta-feira, 20 de março de 2015

Memorabilia diplomatica (XI) - O quarto

Era no tempo das negociações para a entrada de Portugal nas Comunidades Europeias, essa primeira década dos anos 80 em que, com muito esforço e dedicação, vários sectores da sociedade portuguesa foram chamados a dar o seu testemunho sobre as práticas em vigor no nosso país, a fim de as procurar tornar compatíveis com as que eram seguidas nessa Europa a que pretendíamos aderir.

Naquele dia, eram os nossos produtores de leite que explicavam qual o tipo de vasilhame que era usado em Portugal. O técnico que tinha ido a Bruxelas falava um francês sofrível, com algumas falhas que, não sendo trágicas, eram, pelo menos, cómicas.

Uma delas teve graça e ficou na história da nossa adesão. Ao referir-se ao tipos de garrafas utilizadas em Portugal para a venda de leite, terá dito mais ou menos isto: "Au Portugal, nous avons des bouteilles de litre, de demi-litre et de chambre de litre".

O espanto dos auditores de língua francesa terá sido muito, ao serem confrontados com esta criativa forma de se referir ao quarto de litro...

(Reedição de historietas da diplomacia por aqui já publicadas)

9 comentários:

patricio branco disse...

acontece aos melhores tecnicos assim como nas melhores familias! uma nova unidade de medida de volume...

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Caríssimo Chico

"Chambre de litre" - ainda estou a gargalhar rebolado no chão...

Abç

Luís Lavoura disse...

Pois eu já ouvi uma luso-francesa a querer dizer que gostava muito do seu lar, dizendo j'aime beaucoup mon lard... Logo a seguir lembrou-se que em francês lard é banha de porco...

Bartolomeu disse...

Quem sabe, aquele produtor de leite era dos que levam uma garrafa de leite para o quarto para no final de uma sessão de amor... poderem reabastecer o depósito...

Vitor Esteves disse...

A "famosa" capacidade de improviso portuguesa, dessa vez na variante linguística !

Anónimo disse...

Faz-me lembrar aquela pobertanas, mas pretensiosa. Como ia receber para jantar, em sua casa, uma pessoa de nível social superior, deu instruções à empregada para quanto estivessem todos à mesa," Maria o que é o hoje para jantar? Tu respondes: idiomas de vaca, minha senhora!.

Guilherme Sanches disse...

"Avec alor par ici? Encore bien que je te trube", saudávamos nós, pela esquina da Gomes. E já lá vão conquentas...
Um abraço

Anónimo disse...

LOL
Tenho uma cunhada na Bila que para armar em fina anuncia Vatatas com Vacalhau :)

Anónimo disse...

Caro Embaixador:

Esta fez-me lembrar a do executivo do "ALL-GARV", que quando lhe batiam à porta do gabinete respondia: BETWEEN!

Leão do Fundão