quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Quem quer regueifas?


Hoje já não se ouve este pregão, mas ele era comum, há umas décadas, nas paragens do comboio, na linha do Douro. E, igualmente, da boca de uma senhora, com forte bigodaça, que sempre assomava à porta das camionetas do Cabanelas, à passagem por Valongo, nas viagens entre Vila Real e o Porto. Imagino que a circunstância dessas vendedoras trazerem as regueifas - um pão furado ao meio - enfiadas no braço provocasse hoje enfartes aos agentes da ASAE. Mas era assim, então, esse Portugal.

Há pouco, comi de novo regueifa, em Valongo. Dizem-me que agora só se fabrica ao domingo. E recordei aquele pão macio, de crosta estaladiça, que há que consumir em escassas horas, caso contrário torna-se "borrachoso" e sem graça. É como muitas coisas na vida...

A imagem? Não tem nada a ver com a regueifa, mas com o belo Outono que aí já está.

2 comentários:

Luís Lavoura disse...

o belo Outono que aí já está

Eu diria que não é nada belo. Muitas árvores estão a deixar cair a folha, não por causa do outono mas por causa da seca. A humidade é tão escassa que muitas árvores deixam secar a folha mais cedo.

Luís Lavoura disse...

Eu quando vou ao Porto continuo a comprar regueifa numa pastelaria ao pé da estação de Campanhã. Todos os dias a há. Não só ao domingo.