sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Diretas ainda?

No Brasil, noutros tempos, ficou crismada a expressão "Diretas já!". (Verdade seja que, nessa conjuntura de ditadura, não chegou a haver nem diretas nem "já").

Alguns partidos hesitam, como agora se vê com o debate interno no PSD, entre a eleição do líder em congresso ou através de eleições por voto direto dos militantes. 

O escrutínio em conclave tem a peculiaridade do resultado ser a conjugação da vontade ponderada das estruturas locais, somado ao "psicodrama" do evento, onde os tribunos levam teórica vantagem. No passado, todos fomos testemunhas televisivas desses curiosos embates no PSD, onde um partido "sulista, elitista e liberal" se confrontou com um aparelho mais provinciano e basista. Era um público "contar de espingardas", com grande mérito para o espetáculo e algum suspense.

O voto direto traz outras incógnitas e é bastante mais laborioso, implicando "circuitos da carne assada" por parte dos candidatos a líder. Trata-se, além disso, de um processo menos controlado. Pergunto-me se a ocorrência de um certo deslizar populista interno no seio do PSD, de que o racista de Loures é o exemplo mais preocupante, não poderá estar na origem deste recuo para formas de eleição mais aparelhísticas. Se for essa a razão, congresso já!

6 comentários:

Anónimo disse...

A Política sem risco é uma chatice e sem ética uma vergonha!

A política com risco e com ética é utopia pura! E custa a acreditar que o autor do aforisma não tivesse consciência dessa utopia!

Assim, as eleições diretas foram transformadas em indiretas colocando o congresso após a votação… “eticamente”…

Anónimo disse...

Parece que o Costa, também alinhou pelas directas quando o autor deste blog era conselheiro de Seguro ?

Afinal em que ficamos ?

Francisco Seixas da Costa disse...

Há por aqui muita iliteracia. Eu falei de "diretas@, onde (claro!) só votam os militantes dos partidos. As "primárias" (entre Costa e Seguro) são outra coisa, porque votam os simpatizantes. Convém estudar as coisas...

Anónimo disse...

EEhhhh o psd guincha muito pela democracia mas so para o que lhe convem.
La dentro a coisa funciona doutra maneira. Hipocritas

@Anónimo disse 22 de setembro de 2017 às 16:33
Voce tem muito esse habito de desculpar o seu mau exemplo com o mau exemplo dos outros.

Anónimo disse...

Não se augura grande futuro ao PSD pois está na mão de aparatchicks: que ao pouco credível Passos possa suceder Montenegro não se pode esperar muito. Rio é credível mas não deve estar interessado.

Augie Cardoso, Plymouth, Conn. disse...

Chamar democracia ao sistema parlamentar e primeiros mlnlstros e o mesmo que chamar casamentos a curto Prazo a prostituicao......