quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Blogs do ano


Acabo de saber que o "Duas ou Três Coisas" foi selecionado como um dos quatro finalistas na categoria "Política e Economia" no concurso "Blogs do Ano".

Satisfaz-me que este exercício solitário, iniciado vai para nove anos, sem uma única falha diária ao longo desse tempo, mereça esta atenção. E agradeço a quem a teve.

Agora, vamos a votos: quem quiser votar no "Duas ou Três Coisas" pode fazê-lo acedendo aqui.

Este blogue foi criado com o objetivo, simples e claro, de servir de espaço para comentários pessoais sobre o quotidiano, à luz do que vai surgindo na atualidade, chamando à colação algumas memórias - de episódios familiares, da minha profissão ou mesmo da política onde, há muito, passei. Aqui entre nós (que ninguém nos ouve...), quero confessar que, muitas das vezes, deixo por aqui algumas historietas mais como "gaveta" para delas me não esquecer do que com a finalidade de as ver lidas por uma ampla audiência.

Acabo, dizendo aquilo que me parece uma evidência: o tempo dos blogues desta natureza está a passar. Não só há hoje outras plataformas mais ágeis e atrativas, como sinto que a média etária dos leitores é cada vez mais elevada - e isso não é uma retrato com futuro. Por ora, vou mantendo este exercício. Quando um dia me der "na gana" suspendê-lo, fá-lo-ei. Sem angústias, sem nostalgias e, essencialmente, de bem com a vida - que é como gosto de me sentir.

8 comentários:

Helena Sacadura Cabral disse...

Caro Francisco
Creio que tem razão, Já não se escrevem cartas de amor e ele não deixou de existir.
Mas não é fácil desejar tudo de bom a um amigo em 140 caracteres. E sabe bem receber um abraço um pouco mais longo.
Este comentário já tinha ido à vida, nessa altura...

Anónimo disse...

Vexa so estara autorizado para tal, se entretanto escrever um livrinho de memorias. Daqueles com umas quinhentas paginas.

Caso contrario a comissao de leitores nao o autorizara.

Guerra disse...

Boa noite se. Embaixador.

Não vejo com bons olhos que termine com os seus textos neste lugar. Venho aqui todos os dias. Bem me chegou Tempo Contado ter terminado. Vá lá, siga em frente. Nem sempre estou de acordo, mas é a vida. Combinado?
Cumprimentos cá da Bila

Diógenes disse...


Não repito o já estafado "é proibido proibir", direi que é proibido DESESTIR




Fernando Frazão disse...

O Sr. não está autorizado a desistir.
Subscrevo o Anónimo (porquê a anónimo? faz-me tal coisa uma confusão) das 22.27 e mesmo assim...

PS: Tem o meu voto claro.

Anónimo disse...

"A comissao de leitores nao autoriza"

Bem dito. Recordei agora um slogan murmurado durante a campanha para as presidenciais (1958).

Vou na rua e ja nao sei para onde olhar. Grande problema.

Se olho para o ar vejo Salazar
Se olho para tras vejo Tomas
Se olho para o lado vejo Delgado
Se olho para a frente vejo Vicente

Aguem se recorda desta perola?

Saudades

F.Crabtree

Francisco de Sousa Rodrigues disse...

Merecida distinção, vou já votar!

Bem haja por tornar a gaveta de memórias propriedade de acesso público, aliás ainda ontem me lembrei do "Diplomata ... de Carreira!" quando dei de caras com uma foto de um autocarro da Cabanelas e Filhos - um Alfredo Caetano Bravo, de 1980/81, a "vestir" um chassis Scania BR145, equipado com um motor V8 de 14L, que debitava uns generosos, para a época, 265 CV de potência - que é um bom candidato a ser o veículo que realizou a célebre viagem

Quanto a desistências, está proibidíssimo! Quem quiser se contentar só com os bitaitwites e afins que fique com eles, mas eu não passo sem a ronda diária à blogosfera de qualidade.

Francisco de Sousa Rodrigues disse...

Perdão, 275 CV, potência generosa para um motor de autocarro lançado em 1971 e que estava acima da média do que circulava por cá, no início da década de 1980.