quinta-feira, 28 de setembro de 2017

Clubite

Na história da democracia portuguesa, o envolvimento dos líderes partidários nas eleições autárquicas varia sempre na razão direta da expetativa que os protagonistas locais possam ter do efeito potenciador de voto desses mesmos líderes. Isso é válido para quem está no poder ou fora dele. E esse raciocínio é também relevante no que toca à convocação dos "barões" dos partidos, quase sempre chamados a "dar uma mão" na retas finais de campanha. 

Mas, neste caso, a pergunta pode fazer-se: Passos Coelho, com uma imagem de liderança fraca na oposição, será mesmo um "trunfo" para os autarcas do PSD? E Portas? Que sentido tem chamá-lo "a los tercios", agora que está num percurso empresarial que suscita reticências a muitos? 

A explicação parece óbvia. Passos ou Portas carreiam para os respetivos partidos muito poucos votos oriundos de fora desse seu universo partidário. Mas podem contribuir, num tempo de contagem desesperada de "espingardas", para mobilizar os votantes tradicionais dessas mesmas formações, gente que, por desânimo, poderia ter a tentação cómoda de ficar em casa. É o apelo à "clubite", à "camisola", ao "emblema", à fidelidade ao partido. 

Ontem, ao ouvir o desesperado e triste apelo aos "militantes e simpatizantes do PSD" por parte dessa figura patética de anti-carisma que é o seu candidato à Câmara do Porto, percebeu-se isso muito bem. Como se entende o esforço feito por Passos Coelho em apoio à sua candidata em Lisboa (aliás, sua escolha pessoal), a qual, já não conseguindo evitar a "banhada" histórica que irá ter no domingo, tentará (e é plausível que o possa conseguir, atenta a diferença abissal de implantação dos respetivos partidos) não sofrer a humilhação suprema de ser ultrapassada pela lider do CDS. E cada voto de cada militante "de carteirinha" conta para isso.

É que não é só no futebol que a "clubite" funciona.

6 comentários:

Anónimo disse...

Ás "marradas" andam os geringonços.......

Anónimo disse...

Quando é que são as eleições?

Anónimo disse...

Não podemos queixar-nos!!!!

É tal a "esperteza" e o à vontade do presidente do clube geringonço nunca perdendo o sorriso alvar, por muito comprometedora que seja a situação.

Recordar Junho, Julho e Agosto !!!!!!

Anónimo disse...

Muito iremos saber depois destas eleições.
"Fasten your sit belts"

Pedro Vendas disse...

Desiludiu-me. Ou iludi-me.Parece-me, talvez me engane, mas acho que não, que nunca lhe vi simpatias eleitorais ou intenções de voto, por outro, que não o seu conhecido partido ou clube. Parece-me, talvez me engane, mas acho que não. Nunca teve oportunidade porque os outros nunca mereceram, decerto. Realmente os outros são péssimos, não é?

Anónimo disse...

Isto está cada vez melhor. Agora, é um funcionário da ONU, destacado para cobrir a situação na Catalaunha, que se queixa de que os serviços da ONU se recusaram a publicar os textos dele, muito críticos para a atuação das autoridades espanholas ~8que ele acusa de violação dos direitos dos cidadãos).