sábado, 30 de setembro de 2017

É isto!

Uma excelente entrevista do ministro Augusto Santos Silva a Teresa de Sousa, no "Público". Esta posição de Portugal no debate europeu, naturalmente consonante com aquilo que António Costa disse há dias em Bruges, é, na minha opinião, a atitude mais responsável e em sintonia com os reais interesses nacionais. Trata-se de uma política que se nota que tem vindo a ser maturada no seio do governo e que apresenta, para quem acompanha com atenção estas coisas, algumas novas (e muitos corretas) "nuances".

Imagino que PCP e BE continuem a não se rever nesta perspetiva europeia. Outros setores soberanistas também não. Nada que espante. Contudo, posso crer que - politiquices conjunturais à parte - esta posição não cause dificuldades programáticas significativas a áreas responsáveis do PSD e do CDS. E, com imensa certeza também, ao presidente da República.

A política europeia, tal como desejavelmente a política externa em geral, deve projetar uma vontade maioritária do país, o que só ajuda a reforças a posição de Portugal na ordem internacional. Infelizmente, este não será nunca um tema comum no seio da "geringonça". É a vida!

5 comentários:

Anónimo disse...

Essa diatribe contra o BE (e a CDU) já cansa!
Quanto a A.S.S não é nem nunca será um grande MNE. Não deixará marcas nas Necessidades.
E depois, para quem tem boa memória, A.S.S será sempre o "cão de fila" se J.Sócrates, quando afirmava, arrogantemente e com pouco sentido democrático (pois o respeito pela oposição faz parte do sentido democrático) que "o que era preciso era malhar na oposição".
Esperemos que o PM, uma vez ganhas as eleições em 2019, o que é já ninguém duvida, o substitua por alguém melhor e mais bem preparado - e menos arrogante. Acredito que sim. Costa é um homem inteligente.

Jaime Santos disse...

A posição realista e ponderada de António Costa deve certamente muito à experiência e à inteligência de Augusto Santos Silva. Quanto a este ser arrogante, talvez seja verdade, mas acontece amiúde com quem é superiormente inteligente ('doesn't suffer fools gladly'). É a vida. Quanto à suposta diatribe contra BE e CDU, não vejo nenhuma, mas o mero constatar de que as posições de PS e destes partidos relativamente à Europa são quase diametralmente opostas. É a vida... Não é preciso desenvolver reações pavlovianas quando se invocam os nomes destes partidos. Até porque as suas posições são tão criticáveis quanto as dos outros. Infelizmente, parece que os militantes e os simpatizantes destes partidos sofrem de complexos que a 'Geringonça' não foi (ainda) capaz de curar...

Anónimo disse...

Ao anónimo das 18:46.SS ja é um dos grandes MNEs e já tem uma marca nsd Necessidades
Fernando Neves

Anónimo disse...

Durante anos a fio o PCP antecipou e previu aquilo em que a Europa se tornaria, contra o voluntarismo de MNE, de jornalistas e fazedores de opinião como Teresa de Sousa, gente que nem perante as evidências empíricas larga o credo em que apostou - e que se revelou um gigantesco embuste e patrocinador do fim da democracia.

Foram afastados do espaço público, gozados, enxovalhados.

Mas eles (com BE), que mostraram ter razão tão antes do tempo, é que são o parceiro errado do governo no parlamento.

Anónimo disse...

O problema são os que "trabalham" na sombra a transferir as "primaveras árabes" para a Europa a começar já na Catalunha !