sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

Interesses estratégicos

Notícia que acabo de ler no "Diário Económico":

"Passados mais de dois anos de ter sido incumbido de criar um regime extraordinário para acautelar privatizações que coloquem em causa a segurança e os interesses estratégicos nacionais, o governo apresentou finalmente a proposta de lei no parlamento. O documento, a que o DE teve acesso, deu entrada na Assembleia da República a 9 de dezembro e especifica que o governo passa a poder vetar negócios que "afetem a disponibilidade das principais infraestruturas ou ativos estatégicos afetos â defesa e segurança nacional ou à prestação de serviços essenciais nas áreas da energia, transportes e comunicações".

É muito curioso que esta iniciativa legislativa surja depois das principais privatizações nestes setores estarem já concluídas. 

6 comentários:

Defreitas disse...

Casa roubada, trancas nas portas ! Não me recordo bem se é assim que se escreve o ditado, mas além disso é uma das muitas maneiras deste (des)governo de (des)considerar os Portugueses!
Na mesma veia:
Que pensar deste artista que se chama: ANTÓNIO NOGUEIRA LEITE NA CAIXA GERAL DE DEPÓSITOS?

Este senhor antes de entrar na CGD era administrador executivo da José de Mello Saúde (apenas um dos 14 cargos que tinha na época).
E depois de entrar na CGD continuou a trabalhar para o GRUPO MELLO.


A MISSÃO:
“Desalavancar” a dívida do grupo Mello à banca. Em Agosto passado os Mellos compraram de manhã uns milhões de ações da Brisa a 2,75 € cada , principalmente a PEQUENOS ACIONISTAS, e entregaram-nas à tarde a três bancos – CGD, BCP e BES – a 6 € cada ação, preço que os bancos consideraram ser o “justo valor” do título.

No conjunto do lote das ações os Mellos ganharam 375 milhões de euros, segundo noticiou então o “Diário Económico”.
Acrescentava ainda esse jornal que a operação permitiu dar um novo fôlego ao grupo que estaria então à beira da rutura financeira.

Utilização do cargo para fazer isto É CORRUPÇÃO!!!

Anónimo disse...

Este governo mete asco! E agoa EDP, Correios, etc, etc, etc?
E De Freitas tem razão.

Bmonteiro disse...

Nada de grandes surpresas.
Não estamos em Portugal?
Não somos nós portugueses,
e o/s governo/s o/s seus bravos representantes?
Surpresa, era que no governo, PM, ministros e ajudantes, trabalhassem em prol do interesse público.
Isto é, da população nos eu todo.

Um Jeito Manso disse...

Será que, com coisas destas, ainda acabo a achar que esta gente é inteligente? Ou a isto chama-se esperteza? Ou, então, esperteza saloia? Ou terei que recalibrar a adjectivação?

Não sei.

Anónimo disse...

No RU corre um debate sobre o risco que poderá constituir a compra da EDP local pelos chineses. A oposição argumenta que a posição britânica ficará diminuída em termos do espaço de manobra que sobra para se exprimir em termos de direitos humanos no império do meio, acrescentando que o uso do nuclear na china também não é de bom agoiro. Por aqui as minhas preocupações mais prosaicas vão para as facturas mensais da EDP de 90 euros com apenas duas pessoas em casa...

Anónimo disse...

O “silêncio” de Rui Rio foi o último interesse estratégico do governo…
antonio pa