sábado, 27 de fevereiro de 2016

O tapete

Catarina Martins, líder do Bloco de Esquerda, acaba de reconhecer que o cartaz sobre "os dois pais de Jesus" foi "um erro". Marisa Matias e Francisco Louçã terão dito o mesmo.

Louve-se a coragem da líder bloquista. A autoridade ganha-se assim.

Ficam desta forma "sem tapete" político os zelosos defensores daquela patetice, que por aí surgiram. Vão agora criticar Catarina? E Louçã? E Marisa? Ou calam-se?

Talleyrand bem ensinava: "surtout pas trop de zèle"...

9 comentários:

Anónimo disse...

Já há quem diga que ao 3° dia...assumiu... A Catarina.

Anónimo disse...

"PCP quer mudar Governador do Banco de Portugal"(Expresso). Partido dos Animais e da Natureza o Vice-Governador. Chame-se já, rapidamente e em força, Dita Von Teese, para este novo Portugal burlesco que sucede a um façanhudo reino de Cavaco e Maria.

Septuagenário disse...

O Bloco não é um partido político, é um movimento que corre por fora ao serviço de causas fracturantes bem conhecidas.

Conforme diz que Jesus tem os pais que tem, também os Partidos comunistas europeus sempre disseram que Jesus era comunista.

É com a mesmíssima simplicidade que dizem "off record", nos momentos próprios, que no parlamento a maioria é gay.

Só que esses movimentos que na Europa correm por fora há muitos anos, hoje já chegam ao poder.

Vamos ver aonde isto vai chegar, talvez nem venha o mal mundo!

Anónimo disse...



Tanto Charlie falso por esse mundo fora!

Depois, e na verdade, o Cristianismo é a única religião que conheço em que na Santíssima Trindade não há uma mulher. Portanto...... assumam-se!


Ivone Melo

arber disse...

Houve quem lhe chamasse um "topete".
Pois como classificar a "lata" de quem diz que foi um erro porque...o cartaz "não foi compreendido"?!
Cá por mim, registo a classificação de ignorante.

David Lencastre disse...

Esta quezília é insignificante. Matéria para aquecer a Direita e nada mais. Assumido o erro, siga-se em frente, que é o caminho. O importante é termos um OE aprovado na generalidade. O País tem outras preocupações, de carácter económico e social (e político, também). Assim, este "fait divers"é irrelevante.

Manuel Silva disse...

Há mais de 90 anos, Fernando Pessoa comentou o cartaz do Bloco: «O seu pai era duas pessoas:
Um velho chamado José, que era carpinteiro,
E que não era pai dele;
E o outro pai era uma pomba estúpida,
A única pomba feia do mundo
Porque não era do mundo nem era pomba.»
Alberto Caeiro (O Guardador de Rebanhos)

Anónimo disse...

Espero que o Charlie Hebdo também tenha admitido o erro perante as convicções religiosas dos muçulmanos que os criticaram......

Eugénio Barata disse...

Só foi erro porque não foi compreendiddo - disse a Catarina Martins.

Não assume o erro do conteúdo, assume o erro da estratégia. Nuance de realçar. Há -de ainda vir o dia em que certos sectores digam: errámos.