sábado, 2 de agosto de 2014

Os burros da TAP

Em 1975, quando a empresa de transportes rodoviários "Barraqueiro" foi nacionalizada, deu-se conta que, dentre os ativos que passaram a integrar o domínio público, vinha um burro. É verdade! O Estado passou a ser o orgulhoso possuidor de mais um asno...

Hoje, por uma notícia no "Expresso", constata-se que Pais do Amaral, como comparsa no seu "bid" para aquisição da TAP, tem a seu lado a "Barraqueiro". Nos futuros ativos da companhia, ao lado dos Airbus, será que ainda figurará o tal burro? Ou será que, nesta história da privatização da companhia aérea, que parece entrar em oportuno descalabro operacional em vésperas de ser passada a patacos, os burros acabaremos por ser nós?

11 comentários:

Anónimo disse...

me preocupa muito este "tiro no pé" que é a greve , agravando a questão da falta de aviões para atender ao mercado. A TAP já é a empresa internacional dos brasileiros , liga mais de dez cidades a Portugal e a Europa . Não seria esta a maneira de se reivindicar nada e sim lutar pela sobrevivência da empresa. Bom senso aos empregados e o ideal seria uma fusão com uma brasileira , como a AZUL. A TAP é mais importante que uma greve, mais uma greve , inclusive por envolver aviões.

opjj disse...

V.Exª está assim tão pessimista? Quando portugueses estiveram á frente da TAP a coisa estava sempre preta.
Recordo que Cavaco Silva meteu na TAP 70 milhões de contos e saíram 3.000 funcionários (conheci,2), entrou Guterres e repôs o número.
Tenhamos fé.
Cumps

Anónimo disse...

Estes tipos são capazes de tudo.

Joaquim Moura disse...

O comentário de opjj, revela o habitual na direita. O preconceito sempre se sobrepõe à realidade. Por isso inventam mentiras.
Fui verificar os relatórios da TAP e quais são os factos:

1) O rácio de solvabilidade (capitais próprios / passivo) de 1990 a 1995 sempre foi negativo e só passou a ser positivo de 1995 a 2007.
2) A capitalização da empresa pelo estado dá-se em 1997 exactamente por decisão do governo de Guterres, com o aumento do capital em 900 milhões de euros.
3) O governo de Cavaco só em 1994 é que atribui um pouco mais de 200 milhões em subsídios ao investimento. Todos os restantes anos do governo Cavaco a empresa foi-se descapitalizando.
4) Durante os governos de Cavaco o critério de nomeação dos gestores foi estritamente partidário, e encheram a TAP de assessores e boys laranjas.
5) Quem decide convidar Fernando Pinto para CEO e nomear uma gestão profissional, desligada dos partidos, foi exactamente o governo Guterres.
6) E como não podia deixar de ser estas mentiras bem sempre embrulhadas em xenobofia. Os actuais gestores da TAP que são brasileiros, são também portugueses, porque tem todos a dupla nacionalidade, luso-brasileira.
A TAP nunca deveria ser privatizada, dado o relevante papel estratégico que desempenha e ser simultaneamente a maior empresa exportadora nacional.
Além disso tem uma enorme potencial de crescimento caso tenha recursos financeiros para o explorar. O actual governo nada fez para resolver o problema do passivo financeiro da companhia e apesar disso a companhia tem resultados operacionais positivos, tendo que operar com meios que já deveriam ter sido substituídos e que implicam custos operacionais altos.

Quem, como eu, já trabalhou fora do País e viajou pelos diversos países de língua portuguesa, sabem bem do que falo, quando falo de enorme valor estratégico. Os outros que não tem essa experiência, vão dizer que nao sabe o que isso significa.

Anónimo disse...

Caro Embaixador:

Suponho que a Empresa Joaquim Jerónimo (Barraqueiro, com sede em Olival Basto), nunca foi "nacionalizada".
Foi sim adquirida nesse tempo, pela família Pedrosa(Já possuidora de uma frota de carga) juntamente com a Henrique Leonardo Mota(sita em Guerreiros) e a Agência de Viagens Novalusa (Mais tarde Lusanova), passando a constituir-se o chamado "Grupo Barraqueiro, que mais terde ainda adquiriu a Mundial Turismo.


Melhores cumprimentos e SL

João Leão

Francisco Seixas da Costa disse...

Caro João Leão. Graças a si, fica desmascarada uma "lenda urbana" que ouvi vezes sem conta. Fui verificar a lista das muitas empresas de transportes nacionalizadas em 1975 e, de facto, a "Barraqueiro" não consta. A história do tal burro deve ter-se passado com outra empresa. Fica prejudicado o trocadilho, mas vou deixar o post publicado, por inóquo. Com esta sua correção aqui exarada, claro!

Anónimo disse...

Caro Embaixador:

Como complemento do anterior comentário, posteriormente o "Grupo Barraqueiro",(De que a principal figura é Humberto Pedrosa) adquiriu,fundou faz parte de mais algumas empresas de que se destacam a Frota Azul, a Rodarte e a Fertagus.

Para além deste aparte esqueci-me de referir que concordo absolutamente (Como quase sempre), com o seu post.

Melhores cumprimentos e Saudações Leoninas

João Leão


Portugalredecouvertes disse...


Esperemos que as pessoas de bem continuem a lutar pela TAP, é um grande nome, seria bom que não se perdesse

opjj disse...

A Joaquim Moura,Com a v/permissão se assim o entender.
Porque cataloga as pessoas de direitas e esquerdas, não lhe responderei.Dir-lhe-ei apenas que em tempos tentei entrar para a TAP, embora tivesse um conhecido do PSD não consegui, no entanto concorri à PT aquando Murteira Nabo,e apesar de aceite após entrevista, eu decidi não entrar simplesmente pq teria menos 3 salários e prémios num ano.
Nota,não tenho qq filiação e Com o PSD tive mais azar do que sorte

Cumprimentos

EGR disse...

Senhor Embaixador : de burros andam estes senhores que nos governam e seus acólitos, a fazer de todos nós há muito tempo.
E, divergencias ideológicas a parte, isso deixa-me profundamente irritado; eles tentam aplicar-nos a velha máxima segumdo a qual "todo o burro come palha a questão é saber dar-lha"

Anónimo disse...

Com a TAP nunca deveriamos brincar!!!