sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Nuno Teotónio Pereira

Nuno Teotónio Pereira é uma figura pública discreta. A imprensa só fala dele a espaços. Arquiteto de profissão, marcou um tempo muito importante nesse domínio, deixando o seu nome ligado a obras emblemáticas.

Mas Nuno Teotónio Pereira é muito mais do que um profissional brilhante. É uma figura ética que, desde sempre, soube afirmar posições de grande rigor cívico, em especial na área do cristianismo crítico, a que a política não esteve nunca alheia. Corajoso opositor do Estado Novo, foi por ele sujeito à prisão e à tortura.

Os nossos caminhos cruzaram-se em algumas "aventuras improváveis", pelos tempos de abril. Contudo, conheço-o mal, o que não impediu que sempre por ele tivesse um grande respeito e admiração.

Pelos vistos, não estou só. Hoje, pelas 16 horas, nos seus 89 anos, será homenageado na sala de conferências da igreja que, com Nuno Portas, desenhou e que foi construída na rua Camilo Castelo Branco, em Lisboa. Na ocasião, falar-se-á das cooperativas "Pragma" e "Confronto", iniciativas que, nos anos 70, mobilizaram Nuno Teotónio Pereira, suscitando as iras e a repressão do regime ditadorial.

4 comentários:

Anónimo disse...

"Aventuras improváveis"(...)In FSC

Meu Deus, fascinante a junção destas duas amplitudes semânticas,ambas aventuras ambas improváveis, ilustram um folhear do livro da vida em que o marcador é um qualquer encontro entre consensos, flash de memórias peregrinas e livres que capturaram essenciais momentos de cúmplice homeostasia de ideais...

Agora há essências privilégios de alguns em presença global de quem e que podemos sempre auferir dos excertos de espiritualidade que emanam em pulverizações etéreas... E leves e de certa forma acessíveis.
Isabel Seixas

Giulio Sanmartni disse...

Excelentíssimo Embaixador Francisco Seixas da Costa
Senti-me honrado em tomar conhecimento que o senhor lê nosso blog. O "duas ou três coisas" faz parte de minhas leituras diárias, por uma série de motivos, entre os quais dou destaque ao uso escorreito do idioma e ao “grano salis” que o senhor coloca com muita proficiência, dando um sabor todo especial as mais simples das suas notas.
Caso V.Exª tenha tempo e vontade, me seria muito agradável podermos trocar correspondência. Minha caixa postal eletrônica é sanmartinix@tin.it.
Receba meus calorosos cumprimentos.
Giulio Sanmartini

Helena Sacadura Cabral disse...

Senhor Embaixador
Conheci bem O Arq. Theotónio Pereira e a sua primeira mulher, Natália.
Esses tempos foram para mim, ao contrário de si, aventuras mais que prováveis...
Hoje, à distância dos anos, sorrio com bondade - verdadeira, creia -, desses tempos de utopia, tão conturbados, em que certos católicos pareciam envergonhar-se do nome que traziam e do meio de onde provinham.
Nunca foi o meu caso. E por isso paguei bem cara a minha frontalidade. Mas fico contente que haja quem preste ao Arquiteto, aos 89 anos, essa homenagem!

patricio branco disse...

Vi há anos uma entrevista feita a NTP na televisão. Deveria ser novamente passada. Algo me impressionou e chocou nessa entrevista, quando ele falou da sua prisão e tortura pela pide.