domingo, 6 de fevereiro de 2011

Escudero

Hoje, já quase com 80 anos, revisitei, na televisão francesa, Leny Escudero, essa voz magnífica da minha juventude.

Com a vivacidade que nunca perdeu, Escudero lembrou a sua chegada a França, em 1939, com os pais, refugiados da guerra civil de Espanha, uma memória que esteve muitas vezes presente na sua obra. E notou o caráter trágico desse tempo, relembrando um facto que, frequentemente, é branqueado pelo pretenso "equilíbro" das atrocidades: morreram muitas mais pessoas depois do fim da guerra, assassinados sob as ordens de Franco, do que durante o próprio conflito.

Mas, para aligeirar este post dominical, ouçamos, com prazer, Escudero no seu inesquecível "Pour une amourette".

4 comentários:

Julia Macias-Valet disse...

..."morreram muitas mais pessoas depois do fim da guerra, assassinados sob as ordens de Franco, do que durante o próprio conflito."

Ou simplesmente assasinadas por muitos bandidos que andava à solta. Foi o que aconteceu ao meu avô paterno Santiago Macias Augusto. Faleceu aos 33 anos em Janeiro de 1940, à entrada da sua propriedade na Andaluzia para ser simplesmente roubado. Levava com ele 75 pesetas.

jj.amarante disse...

Gostei de revisitar, já me tinha esquecido deste Leny Escudero. A "Ballade à Sylvie" também se ouvia bastante.

Helena Sacadura Cabral disse...

Senhor Embaixador
Estou a ficar velha. Quando vi a foto do seu post fui atacada de uma vontade rir imensa. É que os rapazes do "outro tempo" usavam cá umas cabeleiras!
Este "jovem" está seguramente melhor hoje, com a cabeça toda branca...
Júlia, a minha costela espanhola vibrou com o seu comentário. É que tenho um caso semelhante na família próxima!

Anónimo disse...

Pois eu caras amigas não desfazendo...

Ativo a minha acuidade auditva, sigo obedientemente a sugestão do Sr. Embaixador ouvir o cavalheiro referenciado com prazer e vai daí...

Uma voz bonita entoa uma canção com um poema profundo naquela base do laisser faire laisser passer, na minha vida, ora pensei este rapazinho (Esse escudero... De escudasse?...!)na na,...Não estimula ninguém(O que pode ser uma perda)

Oh! por favor com prazer?...!

Jacques Brell
Ne me quitte pas
http://www.youtube.com/watch?v=zIP9UHtvk1g

Um caso de amor é um caso sério, não se canta com essa ligeireza...

Brincamos?! O rapazito que cresça e apareça...Tem alguma comparação com o Jacques...

Conseguiu sentir a diferença?...
Não?...!
Mais não posso fazer
Isabel Seixas