quarta-feira, 3 de junho de 2009

GM

"What's good for the country is good for General Motors, and vice-versa" - disse um dia, para a História, Charles E. Wilson, antigo presidente da General Motors e, mais tarde, responsável pela pasta da Defesa nos Estados Unidos.

Ao ler-se hoje, em toda a grande imprensa americana, uma patética carta do sucessor de Wilson aos actuais clientes da empresa, no dia em que se consagra a sua falência e a aquisição de parte por uma obscura firma chinesa, não podemos deixar de reflectir nas partidas que o destino pode pregar àquele que já foi um dos grandes emblemas da América.

4 comentários:

Margarida Pereira disse...

E as constantes partidas que a vida prega a todos e a cada um de nós?...
A questão é que tudo pode mudar. Que tudo muda, de facto e a certeza de hoje só serve para agora. Já. E ainda para idealizar um depois mas, mesmo assim...
Por isso são tão preciosas a previdência e a precaução.
Estas 'arrogâncias' lembram-me aquela pintada no casco do Titanic...

Pedro Lopes disse...

mas foi a GM inteira ou só a divisão Hummer?
é que ontem era a Hummer que a empresa chinesa ia comprar... vou confirmar, que isto de posts e escrita rápida tem destas coisas :-)

Francisco Seixas da Costa disse...

Pedro Lopes tem toda a razão e agradeço o alerta. Fazer posts num hall de hotel tem destas consequências...

Pedro Lopes disse...

e eu peço desculpa porque a observação "... que isto de posts e escrita rápida tem destas coisas :-) " era para mim, que ando escrever a 100 à hora! só depois do envio do post e de sair do estúdio onde estava, no trânsito para aqui é que me apercebi que podia ser lido de outro modo!