terça-feira, 9 de junho de 2009

10 de Junho

Há 429 anos, dia por dia, morreu o poeta que nos habituamos a ligar à própria identidade do país - Luís de Camões. Foi um ano duplamente triste, esse de 1580, em que a soberania portuguesa passou a ser tutelada por Madrid, uma humilhação histórica que duraria ainda seis décadas.

O sentimento nostálgico que nos atribuem está bem expresso na escolha da data da morte de um poeta como o nosso dia nacional. E a arte do compromisso está, de forma bem visível, flagrada no complexo nome que o 10 de Junho hoje tem - Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas.

Infelizmente, para muitas pessoas, esta data não passa de mais um feriado, que a habilidade ajuda frequentemente a transformar numa longa ponte. Este, porém, é o verdadeiro Dia dos Portugueses, uma festa que sublinha a forma diferente que temos de estar no mundo e pelo mundo. E é assim que o vêm, saudavelmente, muitas associações portuguesas aqui em França, celebrando-o com alegria e sem pompa, em imensas iniciativas populares realizadas ao longo das últimas semanas.

2 comentários:

Anónimo disse...

Se o português fosse uma lingua morta ainda hoje seriamos obrigados a dizer dia da raça... Como alguns dos nossos cidadaos ainda fazem de certo por nao aceitarem certas evoluçoes! Também a comunidade portuguesa em França jà festejou este dia com mais entusiasmo. Evidentemente depois do 25 de Abril de 74 quando havia mais entusiasmo...
José Barros.

Osvaldo Castro disse...

Fiz link para "Praça Stephens". Ainda bem que relembras o Poeta e as diversas vicissitudes do Dia de Camões.Abraço.