quarta-feira, 3 de julho de 2013

Spas

A ironia e o humor fazem parte da muito simpática maneira de ser dos tunisinos. 

Hoje, um amigo local ironizava, num grupo, sobre o sistema de transportes da Tunis. E sublinhava algumas dificuldades: "os nossos autocarros fazem uma concorrência que é tida por desleal por parte dos "spas" da cidade. De facto, eles oferecem, sem um custo acrescido, sauna, massagens e até uma particular forma de aromaterapia..."

Rir é o melhor remédio, como diziam as "Seleções do Reader's Digest". Também entre nós, não havendo opçāo, talvez valesse a pena tentar essa solução terapêutica.

7 comentários:

Anónimo disse...

Dos transportes portugueses, até nem haverá muito a comentar. A não ser, mas de certo já não, daqueles que levam a gente p'ra Cacilhas...
Já sobre as últimas valsas ministeriais (valsas não, valsas não, são tangos!) se não fosse o humor estavamos perdidos.
José Barros

Anónimo disse...

o mesmo se pode dizer dos nossos em dias de greve...

Carlos Fonseca disse...

A propósito de temperaturas altas, li algures que as fotocopiadoras do Ministério dos Negócios Estrangeiros já estão a deitar fumo...

Anónimo disse...

Quanto a spas, o ex-ministro as Finanças já deve estar a escolher. O MNE também parecia ter ideias a esse respeito mas, como " la donna è mobile " , deve estar neste momento a ver com o médico-chefe de S.Bento quais as termas mais indicadas. Talvez Vichy, onde cabem os dois mais o PR, para lembrar outros tempos em que também se abdicou da soberania e da dignidade, não em favor de uma troika mas de um país que já na altura criava problemas aos seus vizinhos, embora de outra ordem, muito mais grave.

EGR disse...

Senhor Embaixador : chorar também poderá causar algum alívio.
Mas confesso que perante a comédia o riso talvez seja a expressão facial mais apropriada.

Isabel Seixas disse...

Ah sem dúvida,
imaginemos a Troika a chegar de charrete puxada por dois fogosos cavalos "garanhões" e um cocheiro assertivo nas rédeas com um traje austero...

Além de imaginação induzida ativando a memória retrógrada, tavez o agitar de neurónios traga ganhos de flexibilidade nas políticas de austeridade, conforme com a mobilização do sistema músculo esquelético...

Anónimo disse...

A 'velha senhora' detesta a palavra Tunis à francesa, em vez da portuguesíssima e arabo-algarvia Tunes,
mas parece que não é isso o que mais a preocupa:

meu amor porquê 'tu nis'?
temos 'tunes' no algarve
é palavra árabe e grave
teu 'tunis' vem de paris

e em 'tunis' há grave entrave:
se no 'tu' não pões acento
lês 'tunís' o que lamento
porque rima e é meio alarve

(e em rimas me desconcentro
a tratar vexa por tu
e a usar 'alarve' á toa

perco tempo - é meu intento
que o governo caia nu
já nas ruas de lisboa)