terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Irão

Ontem este blogue foi visitado por um internauta do Irão, o 107º país a consultar-nos, conforme se pode constatar na coluna ao lado. Se até este heterodoxo "Dois ou três coisas" pode daí ser acedido, isso diz alguma coisa das amplas liberdades internáuticas que se vivem naquele país. E que só se espera se mantenham.

Há uns anos, fui a Teerão, chefiando uma missão da União Europeia. Ao final de um dia de contactos oficiais sem história, o nosso embaixador decidiu proporcionar-nos um espetáculo folclórico, numa espécie de restaurante típico. No palco, sucederam-se as "performances" dos artistas. Só homens. Não nos demoramos muito.

À saída, o aspeto engravatado do nosso grupo suscitou a curiosidade de alguns jovens, que nos perguntaram de onde vínhamos. À minha resposta, os sorrisos abriram-se: "Portugal!? Figo!". Os iranianos adoram futebol. Hoje, com certeza, diriam "Ronaldo!".

Saberão eles o nome do clube onde esses excelentes jogadores nasceram para o "esforço, dedicação, devoção e glória"?  

6 comentários:

Guilherme disse...

Se, como dizem, se troca de carro, muda de casa, etc. etc. etc, mas não se muda de clube, e como ainda bem me lembro, hoje não será o melhor dia para evocar essas origens...
Há dias à tarde, que uma pessoa à noite...
Um abraço.

Julia Macias-Valet disse...

É preciso é nao desanimar...qualquer dia Senhor Embaixador ainda vai receber uma visita do Butão, de Kiribati, de Palau ou de Saint Vincent and the Grenadines.

Santiago Macias disse...

É possível que tenha sido do Irão. E digo "é possível" porque no meu blogue recebi um inusitado número de visitas supostamente oriundas da Nigéria. Trata-se, afinal, de um conterrâneo que vive no norte de Angola...
O Irão é dos países que mais curiosidade me suscita, em especial por se pressentir, de fora, a existência de um sem número de tensões e de contradições.

Margarida disse...

"(...) No palco, sucederam-se as "performances" dos artistas. Só homens. Não nos demoramos muito.(...)"

LOL!
LOL!
... e por aí fora.
Bem sei que aqui havia muito a dizer (ou não, dada a sensibilidade da nação em causa), mas só me ocorre esta estupenda boa disposição entrelinhas.
Impagável.

Anónimo disse...

Subtileza subtil...

Quando uma equipa adoece e está inibida por impossibilidade e razões óbvias de meter atestado só deve ser valorizada pelo esforço...

A depressão com manifestações diversas e algumas paradoxais revela-se das doenças mais incapacitantes essencialmente porque não é visível a incapacidade aos olhos de todos...

Só a quem tem vinculo emocional...

É a vida...
É das derrotas que emergem as verdadeiras vitórias... De aprender a aprender...A perder.

As pessoas que aprendem a esperar(ensinadas deliberadamente até pelo Seu clube, porque não?), que sabem adiar a recompensa, que facilitam de forma altruísta a vitória aos outros, claro que são mais aptas e menos propensas à presunção , pedantismo e insuflação mórbida...
Três venenos incontestáveis a curto prazo.

Viva o Sporting...

Isabel Seixas

ié-ié disse...

Estes iranianos só sabem mesmo de futebol! No final de década de 70, quando o Xá caiu fui a Teerão, na qualidade de jornalista profissional, com uma missão da secretaria de Estado da Emigração repatriar portugueses.

A odisseia da viagem, que teve uma paragem forçada em Bagdad, pré-Saddam, dava um "post" e peras...

O que importa para aqui, é que no primeiro contacto com um soldado iraniano, vestido e equipado com material português ou vendido por portugueses - farda e G3 - e indagando da minha nacionalidade, logo exclamou: "Eusébio!".

LPA