domingo, 22 de março de 2009

Grande penalidade

Há uns anos, surgiu o interessante livro de Peter Handke "A angústia do guarda-redes antes do penalty".

Ontem, no Algarve, provou-se - e de que maneira - que ainda está por escrever "A angústia do árbitro antes de marcar um penalty".

E hoje, por uma razão qualquer, apetece-me escrever que houve uma "grande penalidade" e não um penalty...

9 comentários:

Anónimo disse...

Foi um "dó de peito", senhor Embaixador.

Melómano

Anónimo disse...

Grande penalidade é mesmo o que se lhe devia aplicar.
Mas desde quando é que certos portugueses têm angústia perante um bom e recompensador penalty, seja ele tinto ou branco?
Lembro-me de um belo fresco "o juíz das duas caras" que enobrece o museu de Monsaraz.

Alexandre Ayres disse...

E hoje, por uma razão qualquer, apetece-me escrever "grande penalidade", em lugar de penalty...

Mas, que penalty?
Alexandre Ayres

Anónimo disse...

Espero que o árbitro se sinta tão mal, que sinta toda a frustração, angústia... e mais não digo... de todos os sportinguistas...durante muito e muito tempo...
GFaria

Anónimo disse...

No século XXI, pergunto-me como ainda é possível não se recorrer ás imagens televisivas para melhor esclarecer dúvidas, evitar injustiças e, sobretudo, “por tabela” combater a corrupção no futebol e na arbitragem.
Assisti outro dia a um programa na TV sobre este tema (na SIC, muito bem conduzido por Rodrigues Guedes de Carvalho) e pasmei (ainda sou ingénuo, pelos vistos) com a atitude da generalidade dos participantes, ligados ao mundo do futebol, árbitros incluídos, contra o uso desta simples tecnologia que é a televisão (com a louvável excepção de um jornalista desportivo ali presente).
A título de exemplo, a Formula 1 já optou pelas imagens televisivas a fim de evitar punir injustamente e reforçar, por outro lado, as medidas a aplicar, em caso de falta.
Considero ultrajante ver árbitros a combater esta medida, que só os iria auxiliar e dignificar. Mas não, isto de ter o poder nas mãos durante 90 minutos - sobre os jogadores e, sim, também sobre os dirigentes dos clubes – é qualquer coisa de supremo…e pode trazer “dividendos” (influência, dinheiro). E depois queixem-se de tráfico de influências e corrupção no futebol.
E ninguém, nem a FIFA, ou a Federação Portuguesa de Futebol, acaba com este estado de coisas, bem antes pelo contrário!
P.R.

Anónimo disse...

Que Solícitos...

O meu filho Pedro Francisco de dez anos viveu a primeira crise existencial aos quatro anos quando lhe disseram que não podia/devia ser simultâneamente do Sporting e do Benfica,ou então adoptar o club do dono da casa onde estivesse.

Enveredou pela opção Sporting com alguma pressão do Pai que veladamente lhe ia dizendo que o deserdava embora nenhum de nós percebesse de quê...
O Padrinho que sofre de Portismo na clandestinidade Convidou-o a ir ver Sporting/Bayern a Lisboa acompanhado do Pai e de um Tio que sofre de Benfiquismo.
Conseguiu também que a restante delegação fosse vestida de verde e superar com dignidade o cinc á sec,por modelagem dos adultos que solícitos recuperaram facilmente alegando que valeu a pena ver a performance da capital e das adeptas do Bayern.
Já no seven foi de facto necessário reforçar o Up.
Assistiu em casa do Padrinho, que fazia sessenta anos á grande penalidade sem conseguir controlar as lágrimas,mas foi surpreendido mais uma vez pela solícita compreensão dos adeptos do Benfica que solidários deram um apoio psicológico de uma eficácia ...Genuina que até comoveu a criança fazendo-o ter um flash back aos seus quatro anos.

Acho precoce codificar-lhe Pessoa

Tudo o que vemos
É outra cousa
A maré negra a maré vasta
É o eco de outra maré
Onde é real o mundo que há

Aliás como Mãe leoa aguardo com a paciência de Alberoni a possibilidade de retribuir...

Tipo a vingança serve-se... com diplomacia
Isabel Seixas

Puro céptico disse...

Não se chateiem lagartos... Voces perderam a taça da liga com um penalty inventado,e nós lampiões perdemos o campeonato também com um penalty inventado...

Francisco Seixas da Costa disse...

Embora o "Puro Céptico" seja pouco elegante, percebe-se a razão por que o não é...

Anónimo disse...

A indignação chegou-me pelo meu filho (eu estava em Goa nesse dia, o Sporting Club of Goa aliás também perdeu!). "Fomos roubados". O Tibet solidário

timimnotibet