sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Partidas & chegadas

Ainda um dia alguém me há-de explicar por que diabo, perante horas a aguardar o embarque num avião, como aquele que neste momento me faz perder a tarde em Orly, nos é dada a justificação de que "o atraso é devido à chegada tardia do avião". Estão a gozar conosco ou quê? Que nos interessa saber se foi a chegada tardia (e, se foi assim, porque se atrasou?) ou a birra de alguma tripulação ou um parafuso mal apertado?

Essa informação é tão importante quanto aquela pateta indicação (sempre presente em cada voo) sobre a temperatura exterior ou a altura a que o avião segue? O que é que isso interessa? Evita que saiamos para apanhar ar?

Digam-nos apenas, com certeza certa, a que horas sairemos, para podermos planear a vida e, até lá, e também se possível durante o voo, não nos poluam os ouvidos, sim? Pagámos para viajar no sossego que for possível.

22 comentários:

Anónimo disse...

:)))))))))

acontece a todos :)

Helena Sacadura Cabral disse...

Não podia estar mais de acordo!

margarida disse...

Ui, que mau humor...

Helena Oneto disse...

Meu caro Embaixador,

Sempre que vou a Lisboa, viajo na TAP. Podia poupar uns euros num low cost qualquer, mas vou na TAP, não porque a considere melhor que a Air France mas para contribuir a reduzir o déficit da nossa flag company. Ha anos que esqueci ter embarcado à hora prevista, pela nossa querida TAP que da, sistematicamente, como pretexto dos atrasos a chegada tardia do voo precedente. Numa das minhas ultimas idas a Lisboa, como o voo para o qual tinha bilhete marcado, não estava cheio, a TAP, "meteu" os passageiros do voo seguinte no 'meu' avião o que provocou uma confusão danada porque muitos os passageiros dos dois voos tinham o mesmo lugar marcado. Partimos com duas horas de atraso e a desculpa do comandante de bordo, no anuncio que fez em português e inglês, foi que se tinha "perdido muito tempo" a arrumar as bagagens dos passageiros...
Ao sair do avião, dirigi-me ao comandante e disse-lhe, além do que pensava sobre os atrasos da TAP, que os passageiros franceses não tinham percebido as razões evocadas e que o minimo seria de se dirigir a eles em francês a que ele respondeu que so era obrigado a falar inglês.

O Senhor ainda tem a chance de 'secar' na sala de espera da executiva e de poder atenuar a furia com um whisky ou un gin a bordo, o que, ha muito, não é possivel em turistica.

Anónimo disse...

Pois é.... a vida tem imponderáveis que não se compadecem da perfeição que nos impingiram nestes últimos 60 anos com os direitos do homem e etc. Mas... eu não sei

patricio branco disse...

sempre achei ridicula essa passagem da culpa para o avião anterior.
verifico que há no entanto casos em que um avião, por conveniência da companhia aérea, espera por outro que traz um numero significativo de passageiros que chegam em transito para tomar o outro até ao destino. Se o 2º está atrasado, o 1º espera 30 ou 40 minutos e os passageiros acabam por seguir no voo previsto (isto é de pura observação pessoal). nota-se p.ex. pela enchente subita da sala ou avião e o grupo a falar a mesma lingua.

Julia Macias-Valet disse...

Uma coisa ja aprendi com os voos da TAP dar a margem suficiente para poder apanhar a camioneta que vai para Moura às 17h15 !

É que os voos da TAP mesmo atrasados ha varios por dia mas o Expresso Lisboa-Moura so ha um por dia : ((. E perde-lo é sinonimo de ter que ficar pendurada em Lisboa durante 24 horas com bagagens e filhos...ou apanhar um taxi para fazer 220Km : (

PS Para além da temperatura e da velocidade também gosto muito que o comandante nos diga como se chama : ) nao sei por que é que os condutores do metro e dos autocarros nao fazem o mesmo !? : ))

Portugalredecouvertes disse...

Apercebi-me que o low cost de Faro Porto e regresso informa quase que tudo em inglês,então ninguém reclama da explicação porque a maior parte dos passageiros simplesmente não entende o que se diz!
Mas até chegam alguns minutos mais cedo do que o previsto, então não seria por aí!

Francisco Seixas da Costa disse...

Cara Júlia Macias-Valet: interessa-lhe assim tanto a temperatura exterior do avião durante 0 voo? (Outra coisa é a temperatura à chegada, claro). E que interesse tem em saber se vai a 7 mil pés de altitude? Se fosse a 8 notava a diferença? Já o nome do comandante, vá lá! Alguns não se dão ao cuidado de falar e mandam, por eles, o co-piloto. Eu, cá por mim, quanto menos conversa, melhor.

Francisco Seixas da Costa disse...

Cara Helena Oneto: eu gosto muito de viajar na TAP e faço-o sempre que posso, por um conjunto de razões, algumas das quais patilho consigo. E, confesso, nos últimos anos tenho vindo a observar um comportamento bem mais cumpridor de horários. Tenho uma ótima experiência. Ontem foi a exceção...

Julia Macias-Valet disse...

O meu PS era irónico.

Francisco Seixas da Costa disse...

Cara Júlia Macias-Valet: essa do "PS irónico" é boa. E um "PC cético"? E um "CDS risonho"? E uns "Verdes saltitantes"? E "Um Bloco unido"? Esqueci-me de alguém?

Julia Macias-Valet disse...

Sim. Dos Anárquicos :))

Julia Macias-Valet disse...

Atenção...e caso a graça nao tenha sido compreendida :

Anarquistas + Monárquicos

: )))

Isabel Seixas disse...

Ó sr. Embaixador este post é o máximo.

Para além de nos suscitar uma ternura enorme senti-lo "arreliado", dei por mim a imaginar que poderá o piloto descrever para inibir os bocejos despertados pela diversidade da paisagem...


Talvez ir dizendo quantos quilómetros/milhas faltam para chegar, preenchendo alguns cérebros com regras de três simples a calcular a hora de chegada...

Ou então se já se vê Deus;

O tempo que leva a ultrapassar nas nuvens tempestades emocionais do diabo?...

Se o céu não será no mar...

"Já sei, o Sr. prefere que o piloto não perca oportunidades de estar calado, pronto que tome café"



PS Permitam-me Sr. embaixador e Júlia parece-me que faltam os independentes que estão e ficam bem em toda a parte.


Helena Oneto disse...

Ah! como uns copos no Procopio transformam o "PS" da Julia numa das mais ironicas e deliciosas "tiradas" a que nos habituou! Essa do "CDS risonho" e do "BE unido" pôs-me a saltitar:):):)

margarida disse...

"Para além de nos suscitar uma ternura enorme senti-lo "arreliado"..."
...'nos'?
Mas se nós só aqui vimos para o arreliar mais, Isabel!

Quais 'copos', Helena? Chávenas! Chávenas de chá. Foi o que li noutro 'postal' e acredito piamente em tudo o que a nossa excelência escreve.

Isabel Seixas disse...

Ó Margarida!!!

Lá se vai a nossa auréola de mistério...

Anónimo disse...

ve se que o sr embaixador nao teve ao seu lado nenhuma moça assim mais interessante. ha azedumes que os livros nao resolvem!!!

bh

margarida disse...

'auréola' de quê?! - não, nada disso; na verdade, é o ensejo para um au revoir. E não o óbvio.
A vida é feita de partidas e chegadas, de encontros e extravios.
De ilusões e realidades.
É bom esperar aviões: muda-se.
Existe quem não possa.
au revoir, pois.

Julia Macias-Valet disse...

"ARRELIADO" !!??? Margarida ? Eu diria mesmo com os nervos em pé de guerra...
Ainda bem que depois o nosso escriba pode ir PRO(s)COPIO(s) :)

Os Independentes Isabel sao como as açordas em maio : nao fazem nem bem nem mal : )))

Querida Helena O agora compreendo a angustia dos políticos quando sao entrevistados...quando os fazem dizer o que nao dizem : )))

Caro embaixador para a próxima vez que apanhar um avião e que começarem com aquela cega-rega sem interesse diga como o rei de Espanha disse ao Hugo Chavez : PORQUÉ NO TE CALLAS ???

Maria Climénia Rodrigues disse...

Entre tantos apontamentos de andanças de aviões, se Tap, se Air France, se Ibéria ou afins, congratulo me da minha provincianice portuguesinha, que me levou num simples e morno fim de semana, num simples carrito á pacata cidade de Penafiel, assistir á 5ªedição do festival Escritaria, onde sem dramas de aviões, me deliciei com uma cidade, adornada com separadores nos passeios,sinais de trânsito tapados com literatura, e a gente simples da terra, e não só, esperando e acolhendo, o tímido, num misto de medroso e expectante António Lobo Antunes, que se mostrou humilde e deslumbrado com o que aí encontrou.De facto, não é só nas grandes cidades ou capitais mundiais, em eventos muitas vezes em ambientes fechados, que tanto o oprimem, segundo palavras suas, que a cultura desce á rua, se cruza e mistura com este povo simples, tão menosprezado e vilipendiado por tantos.E como disse o Escritor..."aquilo que fica de um povo é a sua cultura...
Nestes tempos dificeis para o meu País, são estes momentos, que nos dão qualidade de vida, e nos fazem lembrar que ...o sonho comanda a vida, e que é preciso lutar....e deitar para o esquecimento os piquenos dissabores...Só que o Meu País está de Luto...e isso não se pode esquecer...