18.4.14

Desilusão


Nunca na vida adquiri um bilhete de lotaria, só na adolescência me lembro de ter jogado no Totobola, há muitos anos entrei uma vez ou outra no Totoloto em grupos e por forte insistência de amigos, não compro raspadinhas e não faço a menor ideia de como se aposta no Euromilhões. Não frequento casinos nem aposto rigorosamente em nada que envolva dinheiro. Não jogo na bolsa, não sou proprietário de nenhuma ação nem de uma única obrigação. O dinheiro que tenho e ganho devo-o apenas meu trabalho, não à sorte. 

Mas ontem senti um "frisson" de alguma desilusão quando vi que nenhuma das minhas faturas fora premiada com um automóvel. Porquê? Porque esperava (esperava?) que o que ainda nos sobra de Estado, depois da ação desta "comissão liquidatária" que o dirige, tivesse a dignidade, através desse sorteio, de me devolver um pouco do que me anda a espoliar nos últimos anos. Apenas por isso.

A polémica do dia

Pronto! Com a decisão australiana sobre o tenista sérvio está criado um folhetim com todos os ingredientes: vedetas, política, teorias da co...