6.4.14

As mulheres e a Europa

Quando andei pelos assuntos europeus, as mulheres eram largamente predominantes nos cargos técnicos especializados. Na primeira estrutura criada aquando da nossa adesão às Comunidades, trabalhei num "open space" rodeado de colegas femininas, apenas com um outro homem em toda a imensa sala. Fui, aliás, o primeiro funcionário diplomático, na história do Ministério dos Negócios Estrangeiros, a ser chefiado por uma técnica, exterior à carreira. Anos mais tarde, no meu gabinete, quando membro do governo, chegou a haver um período em que, salvo os motoristas, só tinha mulheres a trabalhar comigo - chefe de gabinete, adjuntas, assessoras e pessoal administrativo. Nas minhas funções, aliás, foram muito raros os homens que nomeei para lugares de chefia.

Lembrei-me disto ontem, num colóquio sobre a Europa em que participei. Além de mim, todas as restantes quatro intervenções especializadas foram de mulheres. Aliás, magníficas prestações. As mulheres continuam "a dar cartas" nos assuntos europeus.

A polémica do dia

Pronto! Com a decisão australiana sobre o tenista sérvio está criado um folhetim com todos os ingredientes: vedetas, política, teorias da co...