sábado, 13 de dezembro de 2014

Flying by out

Pronto, agora ficou tudo muito claro: o que os trabalhadores da TAP pretendem não é travar a privatização da companhia (como foi anunciado) mas apenas obter o direito a uma "fatia" privilegiada da mesma. Por essa razão, quanto menos a TAP valer - também por virtude das greves que a ajudam a desvalorizar - mais barato lhes ficará o negócio. É tão simples! Agora que o governo conseguiu que os sindicatos abandonassem a ideia da não privatização, eventualmente em troca da promessa de obterem umas açõezitas de uma TAP talvez estrangeira, a greve poderá mesmo ser cancelada e os sindicalistas virem a fazer o papel de patriotas natalícios. Tudo bem quando acaba em bem, não é?

16 comentários:

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Chico

No comments

Abç

Francisco Seixas da Costa disse...

Eu percebo, Henrique...,

Ésse Gê (sectário-geral) disse...

Se não erro, esta posição 'laboral' já vem de longe...

domingos disse...

É uma dúvida que sempre tive: não seria melhor entregar a gestão e a própria propriedade da Companhia aos respectivos trabalhadores? Conheço muitos funcionários altamente qualificados da TAP que estou convencido de que conseguiriam levantar a empresa de forma a que ela deixasse de ser um peso para o Estado que o mesmo é dizer para os contribuintes portugueses.

Portugalredecouvertes disse...

eu também quero!

Anónimo disse...

E por que não distribuir acções entre todos os portugueses?!

Se não fosse pelos nossos impostos há muito que esta teria falido.

Também quero a minha acçãozita!

Anónimo disse...

Que triste comentário senhor embaixador.
Hoje toda a gente adere a esta forma frívola de opinar...
O senhor, por acaso, conhece dos próprios (pilotos e todos os outros envolvidos) as suas/deles razões? Faz-me pensar numas negociações de há anos pilotos/ministro Cravinho... quando a TAP por um triz não foi vendida à Swissair ( desaparecida passado pouquíssimo tempo)... Já se esqueceram? E esta de 61% para investidor privado e de 5% para os «trabalhadores», que o governo atirou para os jornais...

Anónimo disse...

Concordo com o anónimo das 14.37, embora já estejamos habituados a estas posições do autor deste Blogue, noutros Posts. Como tenho familiares a trabalhar na TAP, para alé de gente amiga (e até na ex-ANA do Estado) sei bem que estas razões que aqui apresenta, de forma lamentável e anti-greve, não são as verdadeiras. Até parece que vai a reboque da imprensa e do governo.

opjj disse...

Há umas horas ouvi que o Tribunal disse ser ilegal a atribuição de qq acções (os tais 5%).Ao que parece a preocupação maior e medo, é perder todos os privilégios.Faz algum sentido darem um prejuízo brutal num país em crise e serem os pobres que têm pensões e salários miseráveis a sustentarem tantas benesses a gente priveligiada?
Bem sei que os lugares são de responsabilidade, mas olhem para o Zé ao lado!
Cumps.

Cyrano disse...

A aviação tinha algum nível quando os aviões eram pilotados por aristocratas como Mr. Antoine de Saint Exupéry... Agora, com esse ofício entregue a sindicalistas...

Cyrano disse...

Ah,quando os pilotos eram aristocratas como Mr.Antoine de Saint Exupéry... Agora dão a tarefa a sindicalistas...

Anónimo disse...

Bom dia
O que sempre faltou na e para a tap foi diretivas corretas do dono e responsabilidade dos gestores.Todos os anos vai dar lucro, no fim e sempre prejuizo,Nao pode ser entregue aos trabalhadores..O case study e a United Airlines, que quando foi gerida pelos fundos dos pilotos e outros quase entrou em falencia.A Tap teem quadros muito bons.Em Portugal infelizmente nao sao apreciados.Eu sei tanto sobre a tap....

Anónimo disse...

«... ficou tudo muito claro» Senhor Embaixador?
Acaso se informou devidamente? Para quem viaja tanto, não é difícil.
E não nos venha dizer que viaja mais seguro e mais tranquilo nas outras companhias... Paes do Amaral e outros eventuais interessados na compra (ao que dizem os jornais) são realmente empresários com uma experiência do sector da aviação... Atrasos e problemas não são exclusivo da nossa companhia e temos melhores pilotos, que nunca, mas nunca brincam com a segurança dos passageiros. (Não sou familiar de nenhum)

José Manuel Marques Ribeiro Varatojo disse...

Bom, bom é ser administrador não-executivo do Pingo Doce e derivados, estou a ver.
O actual CEO da JAL, Yoshiharu Ueki, é um ex-piloto da própria JAL, cujos resultados têm vindo a ser muito positivos, mesmo num sector altamente volátil como a aviação comercial e numa companhia que passou por momentos extremamente conturbados como a Japan Airlines.
Não falem do que não sabem, não sejam imbecis anti-sindicatos e, sobretudo, não digam disparates como o "opjj" a quem informo que o Estado está proibido de injectar dinheiro na TAP - mas não se preocupe, caro amigo, que o BPN tomará permanentemente conta do seu sofrido dinheirinho, não chore mais.
Se são conformistas e cornos mansos que gostam de ser sovados por administradores, problema vosso - nunca fui nem serei assim, mas também abomino o sindicato-sabotador tão perene nos idos do PREC de esquerda, de 74/75. Sim, porque actualmente estamos num PREC de direita, tão destruidor de Portugal quanto o primeiro, não se iludam.

E informem-se sobre o suposto "business partner" de Paes do Amaral e o lindo (?!?) trabalho que deixou nos EUA.


Menos disparates e agenda política e mais rigor, Sr. Embaixador. Estou certo que na sua extensa e brilhante carreira profissional ao serviço de Portugal nunca foi um demagogo como tem vindo a ser nos últimos tempos. O problema é seu, que perde liberdade e prestígio (e leitores, já agora).

Anónimo disse...

Não à privatização da TAP!!!
Tanta gente a olhar só para o seu umbigo... Isto está a passar das marcas. Haja uma saída à rua pela manutenção da TAP, manutenção nos dois sentidos, diga-se de qualidade. Os presidentes de vários países aí vão fazer a manutenção dos seus aviões. Paguem bem por isso e pelo facto de poderem "encaixar" dinheiro nas companhias aéreas dos seus países, enquanto não nos deixam fazer o mesmo. Isto está a pedir que a qualquer hora caia "um bom bocado de céu velho" em cima da demagogia de que os "mercados podem e devem governar-se sozinhos"... Então, para quê tantos governantes, com exércitos de "bons assessores e adjuntos"?
Não se desculpem com o disparate do PS em tempos ter pensado que a Swissair valia alguma coisa que se compare com a TAP?
Julgava que quem o lembra, fosse o mais inteligente e amigo do nosso país, nesta fase do Governo. A Swissair já colapsou, e, espero que alguns espertos também nos desamparem a TAP dos seus interesses pessoais. Podem e devem levar consigo, os quadros daqueles sindicatos que cheiram a bafio, que não representam nos dias que correm a bandeira que transportam! Os tempos são colectivos, os passos que devemos dar nas empresas como a TAP impõem-se numa "dança com todos os portugueses", mesmo com os que não viajam, mas esperam com os olhos na TAP o regresso de tantos emigrantes!!!

Anónimo disse...

Agora o ex-ministro Cravinho deve ser contra a privatização, tout court..
Já ninguém se lembra...