segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Escrita

Foi em "A Voz de Trás-os-Montes", um semanário de Vila Real de que há muito sou assinante, que, em 1963, publiquei o meu primeiro artigo num jornal. Há tempos, encontrei-o numa caixa de recortes e, aqui entre nós, não fiquei orgulhoso com o que então escrevi. Ainda estou a ver-me entregar o texto ao padre Henrique Maria dos Santos, que faleceu não há muito tempo, e que então dirigia o jornal. E bem me lembro da expetativa com que aguardei a saída do periódico da tipografia da "Minerva Transmontana", onde o meu amigo Carvalho me tinha revelado, por antecipação, o lugar e o destaque dado. Por ali publiquei, nos oito anos seguintes, e até que a censura do capitão Medeiros me "tirou o pio", muitos outros textos, a maioria dos quais sobre política internacional - que agora me pergunto como seriam lidos numa cidade de Vila Real onde essa área de interesses não devia ser muito desenvolvida.

Depois disso, e por décadas, fui escrevinhando por muitas e variadas folhas, artigos de ocasião, sobre temas internacionais, sobre a Europa e sobre as coisas mais variadas. Mas nunca pude aceitar as ofertas que me fizeram para ter uma coluna, um espaço regular de publicação. Tê-la-ei a partir de amanhã, numa base regular mas com uma intensidade compatível com a vida ocupada que tenho, graças a um simpático convite que recebi do "Diário Económico". Como sempre dizem os empregados dos restaurantes "finaços", depois de descreverem o "amuse-bouche" oferta do chef ou um prato mais sofisticado, "espero que gostem"...

8 comentários:

gb disse...

Agora ninguém lhe "cortará o pio, nem os dedos". Sucesso, Senhor Embaixador.

Anónimo das 19:47

Rui C. Marques disse...

Meu Caro Francisco,
Lá estarei nessa leitura.
Já agora :recordo uma aventura de algum modo semelhante no jornal da minha Castelo Branco.Com mais dois colegas de liceu,a "autorização" de um suplemento no "Reconquista" que dava pelo nome de "A Outra Face"(pretendíamos que fosse a outra face de muitas coisas).Anos sessenta.E não é vergonha assomar uma ponta de enorme ternura que,também ela,justifica a vida.

Um abraço.




Anónimo disse...

Os seguidores da sua escrita, vão ter mais oportunidade de o ler.

Completam-se hoje 25 de Novembro de 2013,38 anos da chegada da democracia a Portugal,que se encontra toda esfarrapada, sabemos todos por quem.

A população "reaccionária" não é o povo !

Frase PREC de 74/75.

Alexandre

opjj disse...

Desde que V.Exª. mantenha o seu blogue actualizado, estará perdoado.Penso que essa mudança vai piar fininho e traz água no bico.
Desejo-lhe muitos e bons leitores. Merece.

Bem haja

Guilherme Sanches disse...

Fico satisfeito por saber, e então ainda mais atento a esse Diário, em complemento dos diários posts deste espaço. Ou vice-versa, se vier a ser caso disso.
Um abraço e até breve

Alcipe disse...

O meu primeiro artigo foi publicado em 1964 (um ano depois, que eu sou mais novo) no conhecido jornal "Notícias de Chaves", uma referencia na época, sobretudo na época das termas...

a) Alcipe

Catinga disse...

Bem lembrado, Alexandre. Hoje comemora-se o 25 de novembro. Ou melhor, luta-se para que as pessoas se esqueçam...

Anónimo disse...

Boa Noite,

Acabada de chegar a casa no autocarro nocturno (X3) ou estou cansada, ou miope, ou com frio. Nao consigo "clicar" no comentario original. Ou nao se "clica", quem leu atempadamente que se lembre como e seu dever...elucide-me por favor...

Estamos de acordo em materia de datas. Esta nao!

"Good night and good luck"

Saudades de Londres

F. Crabtree