quarta-feira, 7 de novembro de 2012

O meu novo "tacho"

O Centro Norte-Sul é uma estrutura que, desde 1989, tem sede em Lisboa e que tem como finalidade ligar o Conselho da Europa - em temáticas como a democracia, direitos do homem, diálogo intercultural, etc - a uma área a que se convencionou chamar Estados "do Sul", nomeadamente no continente africano.

Desde a sua criação, o Centro passou por várias vicissitudes e, se olharmos bem o tempo histórico, verificaremos que atravessou o período das grandes convulsões contemporâneas, desde a queda do muro de Berlim à emergência do terrorismo global, das grandes polémicas civilizacionais às chamadas "primaveras árabes". O mundo mudou muito, o Centro mudou com ele mas talvez não o suficiente para nele manter interessados Estados tão importantes como a Alemanha ou a França, os quais, com alguns outros, optaram por abandoná-lo, com as consequências orçamentais correspondentes. O Centro apresenta hoje um número de membros que é já inferior àquilo que formalmente é necessário para garantir a sua sustentação. E, porque o orçamento de que dispõe foi seriamente afetado, a sua capacidade para gerar iniciativas e projetos que cativem novos membros está hoje fortemente reduzida.

É perante este cenário de fundo, no mínimo extremamente complexo, que fui convidado a dirigir o Centro Norte-Sul, com o "estímulo" acrescido de não ir ganhar, nessa tarefa, um euro mais do que aquilo que já seria o meu salário normal de base, quando regressasse a Portugal, por imperativo de idade. Faço-o porque achei interessante assumir o desafio de tentar tirar o Centro - cujo acervo de atividades me parece muito interessante - da muito difícil situação em que se encontra. Logo veremos, a partir de 1 de fevereiro, se consigo fazê-lo ou não, com algumas ideias que tentarei pôr em prática.

29 comentários:

Helena Sacadura Cabral disse...

Senhor Embaixador se há alguém que o possa fazer, será o Senhor com a sua experiência de vida e de carreira.
Espero, contudo, que alguém se lembre de que todo o trabalho merece remuneração e que esta, em tempo de crise, é ainda mais necessária!

Francisco Seixas da Costa disse...

Cara Dra. Helena Sacadura Cabral: o meu salário base como funcionário será a minha única remuneração. Nem eu pedi nada mais! Os mais belos desafios têm de fazer-se assim.

Anónimo disse...

De ERA UMA VEZ

Grande desafio.
Dos fracos não reza a história...
Eles que se cuidem!!!

Julia Macias-Valet disse...

Caro escriba, desejo-lhe o maior sucesso neste novo cargo : )

Para a próxima vez caso esteja com um ataque de torcicolo "apanharei" a borboleta amarela ; ) Mas continuo na minha, a Borboleta Monarca viaja entre o norte e o sul ; )

Au revoir cher voisin :'(

Helena Sacadura Cabral disse...

Senhor Embaixador,
A reforma é a devolução pelo Estado do dinheiro que o Senhor lhe confiou. Trata-se de um direito seu. Não é favor.
Trabalho não remunerado, isso sim, é um favor. Ao país!

António P. disse...

Caro Embaixador,
Parabéns:
- pelo seu regresso à Pátria;
- pelo sua nova função;
e desejos que ao desafio seja ganho.
Cumprimentos

Helena Oneto disse...

Senhor Embaixador,

Felicito-o duplamente porque este "belo desafio" (cuja amplitude me parece ser inversamente proporcional ao tamanho do "tacho") me parece contrariar o seu remoto sonho de gozar l'après Paris -à ne rien faire d'autre que d'écrire (et de bloguer):)!

Isabel Seixas disse...

Gosto do titulo do Post...
Parabéns sr. Embaixador.










São disse...

E eu que vinha dar-lhe a novidade, porque a li num jornal, rrsss

Assim, resta-me concretizar a segunda parte da minha intenção: desejar-lhe o maior sucesso nessa nova tarefa!

Os meus cumprimentos.

AC disse...

Senhor Embaixador,
Desenho que os seus propósitos sejam alcançados e implementados. Apenas um simples reparo, se me permite: Direitos Humanos em vez de Direitos do Homem.
As temáticas que refere têm muito mais valor do que qualquer orçamento para as sustentar, pelo que é urgente trazê-las para a agenda.

Cumprimentos,
AC

patricio branco disse...

trabalhar sem ser pago é algo que pode parecer pouco justo, embora tambem exista o voluntariato, situação porem diferente.
mas postos nos 2 pratos da balança os diferentes factores, ela caiu para o lado de aceitar o lugar, por gosto, ocupação. agora é tentar recuperar o centro n s, um desafio, sem duvida.
portugal, como a frança e alemanha tambem abandonou o o sitio?

Anónimo disse...

Há "tachos" e "tachos". Há funções que podem ser remuneradas e há funções que podem não ser remuneradas. Em Portugal há muitas (penso mesmo exageradas) funções que são remuneradas e não o deveriam ser. Há mesmo funções que são exageradamente remuneradas para o preço que uma democracia pode pagar.
O diretor precedente seria pago, e de certo bem pago, para que mereça noticia o facto do seu sucessor o não ser. 
Mas por não serem muito comuns estas formas de "estar na vida", elas mereceriam uma mais ampla divulgação.   
Até para se multiplicarem e embaterem contra aquelas que hoje parecem tão "normais" ao ponto de aqueles que acumulam remunerações em cima de remunerações serem tão somente epitetados de "espertos" e não vistos como uma anomalia.
O dinheiro não pode ser visto como a unica forma de ascensão social. 
Há outras. Quantas vezes mais nobres!
Mas o Embaixador rema muito contra a maré... O cargo na "Guimarães Capital da Cultura", o cargo na administração da Universidade em Trás os Montes, agora este... É remar muito contra a maré e corre o risco de ser muito mal visto!
José Barros     

Luis Filipe Gomes disse...

Muitas felicidades e sucessos para o seu futuro tacho.
Por favor lembre-se que os tachos vazios servem em caso de necessidade para colocar na cabeça e proteger da pedrada. Receio que sofra algumas.
Faço o voto que ouvi a insuspeitos ateus que tudo davam sem nada esperar
"Deus o acompanhe!"

Jose Tomaz Mello Breyner disse...

Senhor Embaixador

Os meus parabéns pelo lugar, e desejo-lhe os maiores êxitos nesta sua nova missão

Um abraço

ARD disse...

O Centro Norte-Sul sempre foi, desde a sua criação, uma "coisa nossa", um organismo que, no contexto do Conselho da Europa, era a "menina dos olhos" de Portugal. E também foi objecto, desde o inicio, de muitas resistências de vários países que tinham uma visão, digamos, paroquial do. Conselho e não entendiam a razão de um "olhar para o Sul".
A localizacao da sede em Lisboa foi arrancada a ferros.
Esperemos que o CN-S sobreviva e se revigore sob a sua direcção.

ARD disse...

O Centro Norte-Sul sempre foi, desde a sua criação, uma "coisa nossa", um organismo que, no contexto do Conselho da Europa, era a "menina dos olhos" de Portugal. E também foi objecto, desde o inicio, de muitas resistências de vários países que tinham uma visão, digamos, paroquial do. Conselho e não entendiam a razão de um "olhar para o Sul".
A localizacao da sede em Lisboa foi arrancada a ferros.
Esperemos que o CN-S sobreviva e se revigore sob a sua direcção.

Anónimo disse...

Alguém percebeu que "Deuses ex-machina" não há muitos por aí para ocuparem lugares aonde a posição que ocupamos no nosso Continente saia da rota devida e do respeito que ocupamos na História. Os meios materiais vão aparecer. Parabéns, Senhor Embaixador. Bem haja!

Guilherme Sanches disse...

Parabéns^2...

(em linguagem informática será parabéns ao quadrado)
... pelo que é e pela forma como o é, que eu adivinharia sem o saber.
Só espero que Lisboa não passe a ser mais longe de Braga do que Paris.

Um abraço

gherkin disse...

Meu caro,
Sem qualquer lisonja, quem o convidou para tal "tacho", sabia muito bem que nas suas mãos a organização não seria a mesma. Por isso, na certeza de que o DESAFIO VAI ESTAR EM NOVAS E BOAS MÃOS, aguardamos mais notícias a seu devido tempo!
Entretanto, as maiores FELICIDADES!
Gilberto

Anónimo disse...

Tem uma grande vantagem: é mesmo ao lado da Pastelaria Versailles, na Av. da República. Desde já, um convite para irmos tomar uma bica. Costumo ir para lá ler os jornais e trabalhar antes das oito da manhã, nas mesas do canto à esquerda, quando se entra.Boa sorte!!!

Anónimo disse...

A velha senhora delira:

meu amor é o maior
escolhi a melhor parte
mas pra aqui comigo o pôr
sobra idade e falta-me arte

L M D disse...

Caro senhor embaixador.
Além das merecidas felicitações, desejo que a sua vasta experiencia consigam levar o Centro Norte Sul a ter uma dinâmica e uma afirmação mais reforçada ao serviço da Europa e dos seus cidadãos.
Parabéns!
P.S. Esse tacho que refere pode servir muita gente, mas não acredito que lhe sirva a si e a outros como o senhor, que nunca precisaram deles.

Anónimo disse...

Pois é.... até o voluntariado está a mudar em Portugal. Aqui há uns anos era mal visto, dizia que tirava trabalho a outros....
Vamos então contar com a experiência de um profissional de alto gabarito em regime de quase voluntariado. Muitas felicidades nessa nova função. Só não sei se ainda conhece os meandros do poder em Portugal "in loco" mas... eu já sei tão pouco de tudo

Portugalredecouvertes disse...


Eu penso que com esse tipo de tacho o Sr. Embaixador vai estar mais ou menos a salvo dos efeitos da inveja e do mau olhado!

desejo-lhe muito sucesso e que através do seu blogue nos informe futuramente sobre as realizações do Centro Norte-Sul.

EGR disse...

Senhor Embaixador:associo-me a todas as felicitações que aqui lhe foram deixadas na sequencia da noticia que nos deu.
Conheço muito mal o Conselho que vai dirigir mas espero que também, do ponto de vista da divulgação do seu papel, V.Exa possa dar um relevante contributo.

Anónimo disse...

Já posso convidar o Sr. Embaixador para irmos tomar uma bica, ou um chá, ao "palácio" de Versailles, sem nos darmos a grandes canseiras. Eu costumo ler lá os periódicos da manhã e trabalhar um pouco. Não temos é Joanas Vasconcelos.

Anónimo disse...

A Senhora Engenheira até entrava com umas massas nesse Centro, mas com o feitio do Senhor Embaixador acho que não ia dar.

a) Feliciano da Mata, Hotel Ritz, Paris, de passagem para o Golungo Alto

Anónimo disse...

que essa 'senhora engenheira'
não venha põr-me de parte
primeira assim ele me queira
co'as massas ela se enfarte

Ciumenta, a velha senhora? Mas não, será rancorosa contra 'engenheiras' mas não é ciumenta de todo:

ó amor que ama o 'meu' amor
também amor quero eu dar-te
amor é nosso senhor
nosso lema e estandarte

Anónimo disse...

Desejo-lhe excellente saùde et todo o sucesso para o futuro...

C.Falcao