segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Europa

Leio que hoje, dia 13, pelas 15 horas, vou falar sobre "Portugal: soluções para a nova Europa", no salão nobre da reitoria da universidade do Minho, em Braga, abrindo o ciclo de conferências "O futuro da Europa", organizado pelo Instituto de Defesa Nacional e pela universidade do Minho.

Se foi anunciado, é porque deve ser verdade...

6 comentários:

Isabel Seixas disse...

Ainda faltam 14 horas, tem tempo.
Agora o tema!?... talvez antes

"Europa: soluções para um novo Portugal"

Isabel Seixas disse...

Ainda faltam 14 horas, tem tempo.
Agora o tema!?... talvez antes

"Europa: soluções para um novo Portugal"

Julia Macias-Valet disse...

"...tem tempo." diz a Isabel Seixas

Isso a TAP o dirá ; )

Paulo Roberto Almeida disse...

Bem, de Paris ao Minho deve ser um pulo... talvez de Concorde fretado, se tal for possível. Mas o Concorde é justamente uma "solução" francesa para uma outra Europa, a dos exageros dos projetos grandiosos, como o Eurotunel, um brilhante sucesso tecnológico, como tantos outros, e um rotundo fracasso econômico, como tantos outros. Assim vai a Europa, e o mundo, pois cá nos, aqui no Brasil, também temos os nossos grandes projetos fracassados, desde o megalomaníaco programa nuclear da era militar, passando por ferrovias, canais de transposição, rodovias "transamazônicas" e tantos outros projetos gigantescos, como atualmente o trem bala, que vai esgotar os recursos mais rápidamente do que a sua velocidade.
Que isso não seja um impedimento para sua ida ao Minho na primeira oportunidade.
Pelo menos o post de referência do evento teve a virtude de nos anunciar o seu próximo destino: diretor executivo do Centro Norte-Sul do Conselho da Europa.
Meus cumprimentos e o sucesso já antecipado, no que não é um projeto megalomaníaco, e sim uma ponte de diálogo entre nós, que somos de um suposto Sul, e vocês, que são, ao que parece, do Norte. Em todo caso, prefiro mil vezes o Norte-Sul, e vice versa, do que o tal Sul-Sul, mistificador e excludente, por motivos ideológicos.
De minha parte estou indo para o Norte: um pequeno consulado na Nova Inglaterra, que mais do que as burocraticas tarefas de um consulado, me coloca a "cavaleiro" (se tal é possível) de três ou quatro grandes universidades: Yale, Brown, Harvard, e várias outras.
Felicidades,
Paulo Roberto de Almeida

Anónimo disse...

Tente o improviso, pois sairá tudo mais natural e verdadeiro. Sabemos todos que não alinhará pelo "mote" da moda: crise. Não faz o seu género. Parece-me que é dos que acreditam que a arte de "negociar" e "antever" o que pode e deve ser feito por Portugal é um bom exercício político que tanto tem faltado. Obrigada por falar por todos nós...

Bo Bäckström disse...

Caro Francisco,

Aguardo, com interesse, o post da tua intervenção, logo que possível.

Abraço
Bo