terça-feira, 30 de junho de 2015

Memorabilia diplomatica (XXXVII) - A telefonista


Aquela telefonista era muito rigorosa e precisa: tudo o que não fosse relacionado com o serviço da Embaixada era imediatamente reencaminhado.

A chamada que recebeu nessa manhã teve a resposta devida. O interlocutor perguntou quem, na Embaixada, o poderia informar sobre as datas de nascimento e morte do rei dom João I.

A funcionária não hesitou: "Nascimentos e falecimentos não é connosco. Isso são coisas consulares. Vou dar-lhe o telefone do Consulado-Geral". E deu...
 
(Reedição)

2 comentários:

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Caríssimo Chico

... ainda me estou a rir! Ganda telefonista!

Abç

patricio branco disse...

prática, rápida na triagem, assim é uma boa telefoonista