sexta-feira, 10 de abril de 2015

Marcello Duarte Mathias


Desde ontem, estou a deliciar-me com mais um diário, recém-publicado, de um escritor que também é diplomata. Trata-se do "Diário da Abuxarda" (2007-2014), do meu colega e amigo Marcello Duarte Mathias, um dos grandes prosadores portugueses. Os seus diários, sob a epígrafe "No devagar depressa dos tempos", levam-nos pelos pretextos para reflexão que encontrou nas suas errâncias profissionais, de Nova Iorque a Paris, da Índia a Buenos Aires e a Brasília, com Bruxelas e muita Lisboa (e Abuxarda) pelo meio.

Uma visão do mundo por vezes desencantada - e frequentemente diferente da minha -, às vezes a roçar um nostálgico elegante (sei que ele não deve gostar disto), sempre imbuída de um saudável patriotismo, de quem girou mundo com o ideal de Portugal na bagagem. Um livro que, mais do que tributário da experiência de um homem culto, respira a erudição de quem adora a vida e aprecia as coisas boas que ela nos traz - os amigos, as artes e os momentos - coisa que sempre entendemos melhor quando alguma vez tivemos de ultrapassar certos sobressaltos. Um livro que se saboreia como uma bebida requintada, que nos convida a pequenos goles, neste caso podendo sempre recuar nas páginas e na memória dos sabores.

Há anos, o Marcello publicou um pequeno volume, que intitulou de "Brevíssimo Inventário". É uma obra difícil de classificar, mas se se disser que é uma recolha de magníficos aforismos talvez fique mais próximo da verdade. Foi minha prenda de Natal para muita gente e ainda hoje o ofereço a amigos e conhecidos que aprecio e que o podem apreciar.

Termino com duas citações deste Diário que me dizem bastante. Uma de Carlos Lacerda, que Marcello cita: "Viver não deixa muito tempo disponível". A segunda é do próprio Marcello Duarte Mathias: "Hoje é fácil ser-se inconformista: basta andar de gravata". 

2 comentários:

patricio branco disse...

um bom diarista, sem duvidas. num país onde o género é pouco cultivado e ainda menos publicado, os de mdm sobressaem pela sua qualidade, inteligência e cultura, agradável leitura e variedade de temas

ALICE VIEIRA disse...

Tenho uma história extraordinária com a mãe dele--a quem ficarei grata até ao resto da minha vida, e que recordo sempre no dia 21 de Maio de todos os anos.