quinta-feira, 23 de julho de 2009

Cristina Branco

Foi há cerca de nove anos que ouvi, pela primeira vez, Cristina Branco. Por um mero acaso, foi em Paris, num memorável espectáculo na Unesco, com Argentina Santos e Marisa.

Era um modo diferente de interpretar o fado, que combinava a forma clássica com algo de novo, que era indefinível para um mero leigo, como eu era e sou nestas áreas. Julgo não ter falhado nenhum dos seus discos (tenho mesmo uma edição holandesa) e, se bem que tenha frequentemente enveredado por outros caminhos musicais, a sua voz continua a ser excepcional.

Saiu há poucos meses em França o seu novo trabalho, Kronos, que apresentou numa bem sucedida "tournée" em França. Ouça-a aqui em "Se a alma te reprova".

4 comentários:

Gil disse...

Partilho da sua admiração por Cristina Branco.
Além de procurar, sempre que posso, assistir a qualquer concerto seu (como foi o caso recente do que se realizou no CCB há poucos meses, precisamente apresentando "Kronos"), tive o privilégio de promover dois espectáculos que foram, para mim, inesquecíveis: em 2000, na Sé Catedral de Bissau e, em 2007, no Teatro Manoel em La Valletta (Malta).
CB começou a sua carreira na Holanda, país onde a sua popularidade é tal que o Governo holandês a convidou para abrir o Dia da Holanda na Exposição Universal do Japaão, em 2005.
Não sendo uma "fadista", rótulo que, aliás, recusa, Cristina Branco é, quanto a mim, uma das vozes de maior qualidade entre os intérpretes da música portuguesa.

Gil disse...

Partilho da sua admiração por Cristina Branco.
Além de procurar, sempre que posso, assistir a qualquer concerto seu (como foi o caso recente do que se realizou no CCB há poucos meses, precisamente apresentando "Kronos"), tive o privilégio de promover dois espectáculos que foram, para mim, inesquecíveis: em 2000, na Sé Catedral de Bissau e, em 2007, no Teatro Manoel em La Valletta (Malta).
CB começou a sua carreira na Holanda, país onde a sua popularidade é tal que o Governo holandês a convidou para abrir o Dia da Holanda na Exposição Universal do Japaão, em 2005.
Não sendo uma "fadista", rótulo que, aliás, recusa, Cristina Branco é, quanto a mim, uma das vozes de maior qualidade entre os intérpretes da música portuguesa.

Gil disse...

Partilho da sua admiração por Cristina Branco.
Além de procurar, sempre que posso, assistir a qualquer concerto seu (como foi o caso recente do que se realizou no CCB há poucos meses, precisamente apresentando "Kronos"), tive o privilégio de promover dois espectáculos que foram, para mim, inesquecíveis: em 2000, na Sé Catedral de Bissau e, em 2007, no Teatro Manoel em La Valletta (Malta).
CB começou a sua carreira na Holanda, país onde a sua popularidade é tal que o Governo holandês a convidou para abrir o Dia da Holanda na Exposição Universal do Japaão, em 2005.
Não sendo uma "fadista", rótulo que, aliás, recusa, Cristina Branco é, quanto a mim, uma das vozes de maior qualidade entre os intérpretes da música portuguesa.

laiurent bertrand disse...

Ce soir, dimanche 02 août, concert de Cristina Branco au cinéma/théatre de Grândola .. Nous nous préparons à y aller... Belle soirée en perspective.