domingo, 16 de outubro de 2011

Negar a mentira

Há muitos anos que leio, publicadas em jornais, "cartas ao diretor", destinadas a retificar escritos. Tanto quanto me lembro, só por duas vezes me senti motivado a utilizar essa figura: uma primeira vez em 2002 e outra hoje. O que não deixa de ser curioso. Em ambos os casos, para denunciar coisas flagrantemente falsas, sem o menor apoio em factos. Nada de particularmente grave ou preocupante, atenta a notória falta de credibilidade daquilo que foi publicado. Mas apenas porque achei importante "to set the record straight". Para desmentir. Etimologicamente: para negar a mentira.

12 comentários:

Anónimo disse...

Desculpe dizer-lhe isto, mas o meu querido amigo não precisa de desmentidos para que as pessoas acreditem em si.

CSC

Anónimo disse...

Boa tarde.

Parece-me que há um desacerto no link.

Vítor

Anónimo disse...

o link "negar a mentira"não se abre. foi retirado ou sou mesmo um grande nabo?
xg

Anónimo disse...

Meu caro embaixador
Gostei! E eles publicaram mesmo o desmentido? Olhe que não é prática da casa! E já agora: não se admire de eles um dia destes voltarem a publicar o que desmentiu escondido num escuro recanto de um texto... Fala quem sabe!...
Ass: o anónimo das 2.04 do outro dia

Fernando Frazão disse...

Também tive dificuldades no link mas já funciona.
Há muito que sou frequentador "diário" deste blog.
Percebo seu desmentido no Jornal da Manha (assim sem til) mas aqui neste blog não precisa de terçar armas, como aconteceu na altura. com alguém que não merece frequentar este círculo.
O seu currículo fala por si.
Os cães ladram e a caravana passa.
Já agora. os Bleus vão á final do Mundial depois de terem derrotado o "meu" País de Gales.
Com a miséria instalada na sua selecção de futebol como estão os "irredutíveis" a viver a coisa?
Bem haja.

Isabel Seixas disse...

Também tive dificuldade em aceder inicialmente ao link.
claro que subscrevo o comentador CSC.

Isabel Seixas disse...

E depois o que não nos mata torna-nos mais fortes.

AL disse...

Ficaria desiludido se um Embaixador de Portugal enganasse os Portugueses. Por isso acredito no desmentido. Ficaria desiludido se o Dr. António Balbino Caldeira, professor responsável,mentisse sobre o assunto do desmentido. Será optimo (será possivel?) que ambos falem a verdade.

Francisco Seixas da Costa disse...

Caro AL: leia http://duas-ou-tres.blogspot.com/2011/10/sermao-de-domingo.html

AL disse...

Agradeço a remissão para outro seu post. Quanto à sua frase - E se o que lhes é servido como verdade tem o condão de adubar sentimentos pré-existentes, então o processo de convicção pode dar-se como adquirido - acredite que, bem pelo contrário, tenho a melhor opinião/ideia sobre si, quer pelo que leio aqui, quer pelo que vou vendo da sua vida pública. Além do mais concordo com a escritora Agustina Bessa-Luis quando escreve em "Antes do Degelo" que - A mentira é um paroxismo do medo.

Francisco Seixas da Costa disse...

Caro AL: quando eu falava de sentimentos não me estava a referir a mim, como me parecia evidente.

Francisco Seixas da Costa disse...

Muito obrigado a todas e todos que tiveram amáveis palavras solidárias, por esta e por outras vias. Esta acabou por ser uma interessante ocasião para provar, se tal fosse necessário, que as agendas recalcadas de ódio e sectarismo têm o perverso condão de ajudar a dar crédito fácil à mentira.