sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Presidenciais

Presumo que Jaime Gama não vai gostar daquilo que vou escrever. Mas não posso deixar de fazê-lo.

António Guterres reúne unanimidade dentro do Partido Socialista para vir a ser o candidato presidencial apoiado pelo partido (e por largos setores fora dele). Numa inevitável segunda volta, parece dificilmente batível nas urnas, seja por quem for - e Santana Lopes é, a meu ver, a carta mais provável por que Passos Coelho vai acabar por puxar, quanto mais não seja para travar as ambições do "irritante" Marcelo Rebelo de Sousa. Toda a restante esquerda, com mais ou menos entusiasmo, acabaria por alinhar atrás do atual alto-comissário das Nações Unidas para os refugiados, lugar em que Guterres se tem prestigiado.

Resta saber se a Guterres "apetece" mais Belém ou o palácio de vidro da 2ª avenida de Nova Iorque. Não estou minimamente "no segredo dos deuses", mas tenho para mim, conhecendo-o, que lhe agradaria mais o lugar internacional. Resta saber se a manutenção em aberto desta hipótese é, em termos de calendário, compatível com o "timing" ótimo para lançamento de uma candidatura presidencial. Quero com isto dizer que o eleitorado potencial de Guterres, e em particular o Partido Socialista, não pode ficar refém desta indecisão e que, prolongando-se a mesma, há que encarar tempestivamente uma outra solução, com vocação vencedora.

Neste caso, não tenho a menor dúvida: o nome de Jaime Gama é, "by far", aquele que me parece indiscutível como podendo encarnar uma candidatura presidencial de altíssima craveira. Trata-se de um dos mais qualificados e bem preparados quadros políticos de que o país hoje dispõe, tem uma grande notoriedade nacional e internacional, revela um equilíbrio e um sentido de Estado que pede meças a quem quer que seja, na nossa política doméstica.

Volto a dizer: não sei se Jaime Gama gostará desta nota, mas entendo que, se o momento assim o exigir, não poderá eximir-se a este dever, que não é só político, mas também é patriótico.

19 comentários:

patricio branco disse...

jaime gama só joga no seguro, iria se tivesse a certeza que ganhava. detesta a incerteza ou perder. mas como poderia ter essa certeza? homem extremamente inteligente e preparado, tem no entanto essa auto-limitação, não se atreve quando não tem certezas. isso explica que haja vários cargos politicos e partidários que nunca exerceu.
guterres prefere continuar a carreira internacional. apesar de ser muito certa uma sua vitoria nas presidenciais, tem alguns problemas com a politica interna, não é o melhor ambiente para ele, veja-se quando foi pm.
outros? sim, há, mas não se querem meter nisso.

JFM disse...

Não podia estar mais de acordo. Muitas vezes me referi a Jaime Gama como sendo o melhor Presidente que Portugal não teve.

Anónimo disse...

Eu que sou de direita, e sempre fui, como várias vezes aqui o tenho dito, não posso estar mais de acordo com esta análise sobretudo porque estou certo que nem um, nem o outro, teriam actuações semelhantes às dos presidentes Mário Soares e Jorge Sampaio (menos este do que aquele)
João Vieira

cunha ribeiro disse...

Permita-me, estimado Embaixador Seixas da Costa, que lhe volte a pedir o RETRATO DO GOVERNANTE A. GUTERRES. Isto é, do GUTERRES, PRIMEIRO MINISTRO. Aniquilando de vez a carga negativa que tem arrastado com ele desde que "abandonou" o governo.
Nós precisamos que alguém que tenha convivido de perto nos explique quem foi o VERDADEIRO GUTERRES. Volto a dizer que para mim ele foi o MELHOR PRIMEIRO MINISTRO PS de sempre.

Lourenço disse...

Jaime Gama não me parece uma escolha ganhadora e mobilizadora preferia Carlos César ou então um independente como o Professor António Sampaio da Nóvoa este sim um grande candidato além disso fora do circulo habitual da "corte".

Anónimo disse...

Isto será desconversar, será, mas no 25 de Abril os capitães não eram conhecidos e fizeram coisas nobres!
Será desconversar, será, mas ás vezes é mesmo preciso dar um pontapé "dans la fourmilière" !
José. Barros

Anónimo disse...

Quando a Direita aceita um putativo candidato de Esquerda, está tudo dito. Ou seja, Gama não serve. O eleitor de Esquerda não pode estar no mesmo lado que o de Direita. João Vieira em poucas linhas fez com que, se dúvidas houvessem, Gama não deveria ser candidato. E estou convencido que não vai. Mais vale alguém independente. Porque Diabo terá de ser do PS? Ora essa!

Anónimo disse...

Não sei como seria possível ao emb. aceder ao pedido de Cunha Ribeiro. António Guterres, provavelmente e facilmente o melhor primeiro ministro que o PS teve, abandonou o governo porque a situação financeira a que o governo dele chegou era já tão catastrófica que seria necessário executar o plano Pina Moura para controlar a espiral para o buraco. Sem maioria e portanto sem força, não quis o pântano. O que se seguiu é conhecido: a tentativa de controle de Ferreira Leite teve o inestimável apoio de Sampaio (há mais vida para além do déficit, disse) e desde aí tem sido o que se sabe, mas se procura esquecer porque dois e dois só para os "estúpidos", dizem, é que são quatro.
João Vieira (da direita mas admirador do carácter, e da inteligência de António Guterres)

Helena Sacadura Cabral disse...

Pois meu caro Francisco, se Gama se candidatar é nele que votarei!
É um homem que representaria muito bem Portugal, com uma enorme cultura e capacidade de estabelecer diálogos que é o que nos falta. E creio que levaria muita gente atrás dele!

Anónimo disse...

Apoiado a Jaime Gama, nem percebo por que motivo não se falou logo dele.

Anónimo disse...

Jaime Gama ainda é o Presidente do BES Açores? Nunca se ouviu falar deste assunto na comunicação social.
JPGarcia

Anónimo disse...

Gama, por quem não tenho nenhuma simpatia, não é uma figura mobilizadora nem carismática. Poderá estar bem preparado intelectualmente mas indo a votos leva uma cabazada pois aparece como alguém demasiado elitista, ensimesmado e com um discurso demasiado elaborado que lembra as intervenções incompreensíveis de Jorge Sampaio.
As polémicas nomeações de embaixadores que fez, que a seu tempo irão ser exploradas virão a seu tempo à tona de água e há muita coisa ainda não esclarecida.
Guterres candidato em Portugal seria pena quando seria um bom dirigente das NU.
Socialista, não dispondo de um candidato credível na minha área, votarei sem hesitação em Marcelo.

opjj disse...

V.Exª, abriu o leque de preferências!
Apesar de eu ser vizinho de JG, acho que devem deixar o Homem descansar. Devem arranjar gente nova. Os governantes têm muito trabalho, é cansativo e é uma prisão para os últimos tempos. Não invejo.
Cumps.

Catinga disse...

Fala-se do Jorge Sampaio... Dele lembro-me de dois momentos tristes: a figura aquando da transição em Macau (um presidente choramingar?...), e daquela cimeira iberoamericana em que o Lula (assim se contou), teve de o chamar à atenção para que falasse em português. Mas... descontados estes dois pecados, é alguém cujas intervenções "a matar", no que respeita aos nossos defeitos de caráter, me deixam sempre agradado.

Anónimo disse...

Acho que independente..só uma personagem que seja de esquerda !

Isso sim ! A luz e a verdade sempre foram de esquerda, principalmente a brigada-decisora !

Anónimo disse...

Que subtileza de texto.Pode ser que ambos os visados o leiam.
Bom seria Guterres ir para o palácio de vidro da 2ª avenida de NY, alargando a via de acesso a Belém para Jaime Gama.
Um PR que foi ex-chefe, enquanto MNE dum ex-Secretário de Estado das Comunidades, até pode ser que desse jeito. Era dois em um, quem sabe.
A.R.

Jose Martins disse...

Senhor Embaixador,
Se cheguei a ter alguma dignidade e sair de assalariado, para funcionário público e estar a auferir uma reforma de 700 euros, depois de servir a diplomacia portuguesa no estrangeiro por 24 anos ao Prof. Jaime Gama lho devo.
Gostei muito dele como ministro dos Estrageiros e lidei com ele de quando da cimeira ASEM, em Banguecoque, no ano
de 1996.
Saudações

Isabel Seixas disse...

Gosto mesmo dos dois.
venha Deus e escolha.

disse...

A mim parece-me que o Dr. Guilherme d'Oliveira Martins seria a escolha ideal. Um grande servidor público. Um homem moderado e de centro. Ficaríamos todos a ganhar.

Do lado do PSD, a Drª. Manuela Ferreira Leite parece-me a escolha indicada. Também ela uma pessoa que dedicou toda a sua vida à causa pública. Com a óbvia vantagem de se ter sempre demarcado do PSD passista.