sábado, 15 de novembro de 2014

O XX Congresso

Será talvez uma reação geracional, mas olhando, na manhã de ontem, para um grande cartaz de rua que anuncia o XX Congresso do Partido Socialista, em acentuados tons de vermelho, fiquei com a sensação de que o ou os autores do "outdoor" não foram insensíveis à marca histórica que a expressão  "XX Congresso" tem ainda hoje.

Com efeito, o XX Congresso do Partido Comunista da União Soviética foi um dos momentos decisivos para a evolução da URSS e é um indiscutível marco na História universal. Nele foi feito um decisivo corte "epistemológico" com o passado estalinista. Foi nessa histórica reunião que Nikita Krutchev pronunciou o seu famoso discurso (tido por "secreto", até extratos serem conhecidos quatro meses depois, aparentemente por uma indiscrição dos "camaradas" italianos), onde fez um elenco das barbaridades cometida pelo "pai dos povos". Até então, Stalin era o "guia e farol da humanidade" para o mundo comunista internacional e, naturalmente, para o sempre ortodoxo Partido Comunista Português. Não foi sem uma penosa evolução doutrinária que o mundo comunista se adaptou aos novos tempos. Foi dessa tensão que nasceu o cisma sino-soviético, que deu origem à proliferação dos movimentos maoístas que vieram, a partir de então, a considerar "revisionista" a linha comunista do PCUS. 

António Costa avança para o XX Congresso do PS. Nenhuma rutura essencial se espera, nenhum drama ou denúncia de passado, recente ou mais longínquo, deverá surgir deste encontro. O seu discurso não será "secreto". Definitivamente, este é "outro" XX Congresso. Mas ninguém me convence que não houve "mãozinha" da memória na construção do cartaz!

Em tempo: afinal, não fui só eu a notar!

6 comentários:

Anónimo disse...

Parece que a razão secreta e inconfessável deste XX Congresso (disse-me o porteiro do Lago do Rato) é vir depois do XIX e antes do XXI. Segredo!…

a) Feliciano da Mata, cada vez mais socialista a cada subida nas sondagens

Joaquim de Freitas disse...

Sim, o XX° Congresso do PCUS fez o processo do estalinismo que tinha diluído o socialismo na violência criminosa contra os seus. Khrouchtchev, um Ucraniano , (!) tinha razão: " Os crimes de Estaline tinham desnaturado o slogan " O Comunismo é a juventude do mundo" .

Como dizia o outro " o essencial não é de saber donde vimos, mas onde vamos"" . Mas direi, com a condição de não estar num círculo.

Talvez seja necessário mudar o homem primeiro se queremos modificar as regras do jogo e a sociedade.

Que o Congresso do Partido Socialista Português sirva para qualquer coisa, que faça renascer a esperança e possa reconstruir o futuro, que os homens possam trabalhar, lavrar, semear, fazer levantar as colheitas futuras.

E sobretudo, que não caia na tentação de se diluir no social liberalismo.

Porque já basta de tudo escusar, de encontrar justificação a todos os abandonos, a todas as cobardias. E preciso escolher o seu campo.

Senão, os últimos socialistas serão, um dia, aqueles que, como na Guerra do Fogo, estavam condenados a transportar por toda a parte aquela pequenina gaiola onde "vivia" dificilmente um pobre fogo alimentado de raminhos de madeira, para salvaguardar o fogo.

Se mais ninguém sopra nas brasas , pode muito bem ser que um dia o vento da ira se levante e que das pobres brasas se elevem altas chamas que devorem tudo e todos.

A paciência dos povos tem limites.

Helena Sacadura Cabral disse...

Meu caro Feliciano
Olhe que as sondagens têm grandes margens de erros.
Aconselho-o vivamente em não se comprometer já. "Cheira-me" que podem vir por aí surpreendentes coligações e há uns partidos que prometem ser o sr 5% nas próximas eleições. Que o diga Marinho de Pinto...

Anónimo disse...

"Nenhuma rutura essencial se espera, nenhum drama ou denúncia de passado, recente ou mais longínquo, deverá surgir deste encontro."

E por isso mesmo este XX Congresso não tem interesse absoutamente nenhum, tirando para a família do Dr. Costa, nem representa um marco na necessária decisão de pôr fim ao PEC - Processo de Empobrecimento em Curso.

jj.amarante disse...

O cartaz da rotunda do Relógio já teve o seu XX vandalizado, como se pode verificar aqui: http://imagenscomtexto.blogspot.pt/2014/11/a-importancia-de-xx-quando-de-um.html

Anónimo disse...

Não me arreceio do Marinho,
que se desdiz por daninho.
nem o Pinto me faz medo,
hoje aqui, amanhã cedo

noutro lugar, pela certa.
O que nos faz mal, senhora?
É a esquerda conservadora:

o PC que sempre disse
que a esta Europa não servisse!

Só o muro de Berlim
os vai deixar mesmo assim!

Uff…


a) O Bardo do Rato, aqui apresentado pelo seu novo agente artístico, Feliciano da Mata