sábado, 14 de setembro de 2013

Discutir a Europa


Hoje, segundo dia do Congresso "Presente no futuro", continuamos a discutir a Europa, no liceu Pedro Nunes, numa organização da Fundação Francisco Manuel dos Santos.

Entro em campo, daqui a horas, numa mesa redonda moderada pelo diretor da SIC-Notícias, António José Teixeira, com a professora Catherine Moury e o meu colega e diretor-geral dos Assuntos europeus, Francisco Duarte Lopes.

Cabe-nos debater o modo como somos representados na União Europeia, o que implica falar do poder que hoje temos (ou não) e daquilo que o pode determinar ou condicionar.

Uma advertência: as entradas para o Congresso estão esgotadas.

Em tempo: e por lá, entre outras coisas, disse isto.

21 comentários:

Isabel Seixas disse...

"Uma advertência: as entradas para o Congresso estão esgotadas."

Oh que pena, estava mesmo a encetar a viagem para chegar a tempo...Pronto paciência.

pvnam disse...

UMA ESTRATÉGIA DE SOBREVIVÊNCIA PARA PORTUGAL (nota: e outros…)
.
-> Uma NAÇÃO é uma comunidade duma mesma matriz racial onde existe partilha laços de sangue, com um património etno-cultural comum.
-> Uma PÁTRIA é a realização de uma Nação num espaço.
.
Não-nativos já naturalizados estão com uma demografia imparável… leia-se: os 'parvinhos-à-Sérvia' - vide Kosovo - que fiquem na sua…
Resumindo: antes que seja tarde demais, há que mobilizar aqueles nativos europeus que possuem disponibilidade emocional para abraçar um projecto de Luta pela Sobrevivência... e... SEPARATISMO-50-50!
{uma obs: se os autóctones europeus não estiverem dotados duma Coligação Defensiva (do tipo NATO)… os nazis made-in-USA aplicarão aos autóctones europeus o mesmo 'tratamento' que foi aplicado aos autóctones norte-americanos}
.
.
P.S.
Nazismo não é o ser 'alto e louro'... mas sim a busca de pretextos com o objectivo de negar o Direito à Sobrevivência de outros!...
Os 'globalization-lovers' nazis que andam por aí… buscam pretextos... para negar o Direito à sobrevivência das Identidades Autóctones.
Pelo contrário, os separatistas-50-50 não têm um discurso de negação de Direito à sobrevivência de outros... mais, os separatistas-50-50 não são anti-imigração -> os separatistas-50-50 apenas reivindicam o Direito à Sobrevivência da sua Identidade!... Leia-se: os 'globalization-lovers' que fiquem na sua... desde que respeitem os Direitos dos outros... e vice-versa.

ignatz disse...

entradas por convite é capaz de ser mais consentâneo.

Anónimo disse...

Fala-se tanto em produtividade do trabalhador, será que ainda ninguém pensou medir a produtividade inerente a reuniões, congressos, seminários, workshops?... É que há tantos a gastar tantas horas nisto!...
Estou numa fase em que, quando vejo uns “artefactos” deste tipo, “passo, em geral, para o outro passeio” mas, por vezes pergunto, a quem de lá vem: Que tal? A resposta é muito “concreta”: muito bom! Oradores de muita categoria! Quando à substância foi muito abrangente! Focaram tudo! Só indo lá!
Bem, também há algumas respostas muito secas: “foi uma seca!”

Anónimo disse...

Não toquem, por favor, nas desigualdades enraizadas entre as populações porque essas desigualdades são um dos pilares de sustentabilidade da União da Europa.
José Barros

Joaquim De Freitas disse...

Espero que todos os participantes a este colóquio estão conscientes do declínio econômico da Europa como consequência da crise financeira e das políticas implementadas para desviar de maneira infinda milhares de milhões dos fundos econômicos para o sistema bancário e o pagamento de juros da divida em detrimento das condições sociais dos cidadãos. E que também observam a derrocada moral dos governos europeus.

Receio que o plano mortal que está em curso de aplicação, que é o de constituir um Império do grande capital, seja ineluctável.
Centrado sobre Berlim, com um posto avançado em Bruxelas, largamente teleguiado por Washington por meio da NATO e do FMI, este Império com o nome de Estado Federal , visa a concentração monopolista e a caça ao lucro máximo. Os pequenos países como Portugal não terão peso nenhum num tal conjunto de pesos pesados ! Eles trabalharão em empreitada para os grandes, fornecendo desde já os batalhões da nossa juventude, educada e formada à nossa custa, para o maior proveito das oligarquias européias.

Tenho a impressão, que a manobra alemã de realizar por outros meios , os da dominação econômica, da chantagem financeira e da euro-trafulhice institucional, os objetivos dos três "Reich" precedentes, é mais clara que nunca.

A evaporação das vantagens sociais, das conquistas democráticas e das nações soberanas, que custaram tão caro aos povos europeus, constitui o maior risco para o futuro. Basta olhar para um mapa da Europa para sentir, quase, o frio dos tentáculos do polvo que nos olha fixamente do alto do novo Reichstag no centro do continente europeu.

Helena Sacadura Cabral disse...

O Anónimo das 08:57 tem bastante razão no seu comentário.
Portugal é um país de eventos e de encontros entre a elite. Falam, analisam, propõem, debatem, fazem memorandos e relatórios, mas depois... nada acontece. Porque será?!

Carlos Fonseca disse...

Ao que parece a sua intervenção causou grandes estragos.

Ficou alguma loiça inteira?

P.S. - É capaz de ter perdido uns quantos "amigos".

Anónimo disse...

Subscrevo o anónimo e HSC. Muita parra e pouca uva. Qual é o interesse deste tipo de eventos? Para além de quem lá intervem? Francamente! Poupem-nos!

Anónimo disse...

Eu sabia que você tinha reticências sobre a Europa...

CSC

Francisco Seixas da Costa disse...

Cara Helena: devo dizer que aprendi bastante neste congresso, que se me colocaram novas questões e tive algumas respostas interessantes. E, felizmente, encontrei pouca gente conhecida, o que prova que o interesse por estas temáticas está a abranger bastante gente nova, interessada pelas questões que vão determinar o futuro do país. Foram dois dias intensos, um tanto cansativos, mas muito interessantes.

Francisco Seixas da Costa disse...

Caro Carlos Fonseca: eu, pelo menos, lá no palanque, parti um copo. Se me conhece, sabe que digo o que penso, gostem ou não.

Anónimo disse...

Estes encontros são úteis para se saber de que lado das barricadas, que se teem levantado, está cada participante. Cada um fala segundo a sua visão do mundo e não quer deixar de o visualizar doutra forma. Tudo ficará na mesma. Mas a intenção pode ser boa.

Francisco Seixas da Costa disse...

Caro Anónimo das 18.40: "poupem-nos"? Mas quem é que o manda "cansar-se" com estes assuntos? Se não gosta, vá à bola! Olhe! Hoje o Benfica ganhou...

Francisco Seixas da Costa disse...

Caro CSC: o meu amigo sabe que tenho não só reticências mas também pontos de interrogação sobre a Europa. E só não tenho de admiração porque, na Europa, já nada me admira...

Helena Sacadura Cabral disse...

Meu caro Francisco
Ai, sob a perspectiva da aprendizagem individual ou colectiva, não tenho qualquer dúvida sobre a utilidade desse tipo de debates.
Mas depois fica o amargo da impotência. E esta, pelo menos a mim, vai-me castrando.
Então para que debatemos? Para nos ouvirmos uns aos outros.
Desculpe, meu amigo, mas a falta de capacidade de influenciarmos as decisões fundamentais anda a roer-me... De quatro em quatro anos, escolhemos. Depois é o que se sabe...

Anónimo disse...

Sr. Costa,
E é que o Benfica ganhou mesmo? Apesar do novo corte de penteado do Jesus? Pena que o FCP também tenha ganho, ora a maçada!
Antes isso que palestras com muita parra e pouca uva!

Francisco Seixas da Costa disse...

Caro Ignatz: se o conteúdo do seu comentário tivesse sido "embrulhado" num tom socialmente não preconceituoso e menos insultuoso teria sido publicado.

Francisco Seixas da Costa disse...

Caro Ignatz: o congresso foi uma iniciativa da Fundação Francisco Manuel dos Santos, uma entidade sem fins lucrativos financiada pela Jerónimo Martins, empresa de cujo Conselho de Administração faço parte, como é público. Fui orador, a convite da organização científica do Congresso, na minha qualidade de antigo secretário de Estado dos Assuntos europeus, durante cinco anos e meio. Para sua informação - e por curiosidade - , informo-o de que fui convidado pela "Jerónimo Martins", como membro da empresa, a estar presente no evento. Indiquei que já tinha sido convidado pela organização..,
O preço da inscrição no evento (creio que eram 30 euros) não me pareceu desproporcionado para uma organizacão que proporcionava dois almoços, lanches e outras amenidades. Mas pode ser dos meus olhos...

ignatz disse...

sr. costa, isso que o senhor refere é tudo verdade e conhecido, mas não é o que os seus olhos me querem fazer ver. é óbvio que os participantes foram contratados nas hostes do pingo doce, fundação e avençados e os participantes escolhidos a dedo para aplaudirem o discurso do chefe ou alguém is pagar € 30 para ouvir o soares dos santos fazer umas graçolas com a data da constituição? claro que aquilo foi supra sumo da barbatana, imprensa e televisão precisam de publicidade e os participantes de emprego, mas quem vem assistindo ao crescendo destas mega-encenações do sr. soares acha isto uma palhaçada bastante perigosa. uma vez mais escusa de publicar, basta que leia.

Francisco Seixas da Costa disse...

Caro Ignatz: deve ser isso, deve ser a grande conspiração "Pingo Doce". Ficamos à espera que o "Continente" a denuncie. Mas, olhe!, o "Público" de hoje não parece ser da mesma opinião. "Contradições no seio do povo"?