quarta-feira, 21 de setembro de 2011

A democracia e a Europa

Ontem, um velho e avisado amigo francês comentava comigo o facto de apenas cinco dos 17 membros da zona euro terem, até ao momento, ratificado o programa de ajuda à Grécia aprovado no dia 21 de julho - faz hoje precisamente dois meses! A maioria desses Estados argumenta com a lentidão dos processos decisórios internos, isto é, com a necessidade de serem respeitados os procedimentos democráticos de cada país.

Com um ar irónico, atrás do qual se escondia uma premonição lúgubre, esse meu amigo concluía: "Quem havia de dizer que haveria de ser a democracia a acabar com a Europa". Sem, por ora, partilhar necessariamente a funesta previsão subjacente ao raciocínio, não me contive e acrescentei: "Tendo a democracia nascido na Grécia..."

10 comentários:

Alexandre Rosa disse...

Pois é caro Embaixador e amigo.
A democracia nasceu na Grécia, a teorização da burocracia, enquanto sistema de controlo do poder discrecinário do principe e de promoção da cidadania, teve lugar na Alemanha e, agora, esses tais procedimentos burocráticos que a democracia exige, fazem destas coisas.O que contraria, quer as necessidades da democracia, quer os principios fundadores da boa burocracia

Fada do bosque disse...

Sr. Embaixador... é o que se chama a ironia do destino...
A Grécia tem sido um bode expiatório excelente, apenas isso.

Como antecipado desde Novembro de 2010 pelo LEAP/E2020, e reiterado várias vezes até Junho de 2011, o segundo semestre de 2011 começou por uma recaída brutal e gigantesca da crise. Cerca de US$10 milhões de milhões dos 15 milhões de milhões de activos fantasmas anunciados no GEAB nº 56 já desapareceram como fumo. O resto (e provavelmente muito mais) vai desvanecer-se no decorrer do 4º trimestre de 2011 que será marcado por aquilo que a nossa equipe chama de "fusão implosiva dos activos financeiros mundiais". São os dois principais centros financeiros mundiais, Wall Street em Nova York e a City em Londres, que vão ser os "reactores privilegiados" desta fusão. E, tal como previsto pelo LEAP/E2020 desde há vários meses, é a solução dos problemas da dívida pública de certos Estados da Eurolândia que vai permitir que esta reacção atinja sua massa crítica, após a qual nada mais será controlável. Mas é nos Estados Unidos que se encontra o essencial do combustível que vai alimentar a reacção e transformá-la em choque planetário real [1] . Desde Julho de 2011 não fizemos senão encetar o processo que conduz a esta situação: o pior portanto está diante de nós e muito próximo!

Neste comunicado público do GEAB nº 57 escolhemos abordar muito directamente a imensa operação de manipulação que está organizada em torno da crise grega e do Euro [2] , descrevendo sempre a sua ligação directa com o processo de fusão implosiva dos activos financeiros mundiais. Igualmente, neste GEAB nº 57, o LEAP/E2020 apresenta suas antecipações do mercado do ouro para o período 2012-2014 assim como suas análises sobre o neo-proteccionismo que se vai por em acção a partir do fim de 2012. Além das nossas recomendações mensais sobre a Suíça e o Franco suíço, o imobiliário e os mercados financeiros, apresentamos igualmente nossos conselhos estratégicos destinados aos dirigentes do G20 a menos de dois meses da cimeira do G20 que haverá em Cannes.

Crise grega e Euro: estado da vasta operação de manipulação em curso
Mas retornemos pois à Grécia e àquilo que começa a ser um "antigo cenário muito repetitivo" [3] , o qual já explicámos que retorna à frente da cena mediática cada vez que Washington e Londres entram em graves dificuldades [4] . Então, como por acaso, o Verão foi catastrófico para os Estados Unidos que a partir daí entraram em recessão [5] , que viram a sua classificação financeira degradada (um acontecimento que há apenas seis meses a totalidade dos "peritos" considerava impensável) e que expôs ao mundo espantado o estado de paralisia geral do seu sistema político [6] , estando sempre incapazes de por em acção a menor medida séria de redução dos seus défices [7] . Paralelamente, o Reino Unido afunda-se na depressão [8] com tumultos de uma rara violência, uma política de austeridade que fracassa dominar os défices orçamentais [9] mergulhando o país numa crise social sem precedentes [10] e uma coligação no poder que já não sabe sequer porque governa juntamente com o pano de fundo do escândalo do conluio entre líderes políticos e o império Murdoch. Não há dúvida, num tal contexto, tudo estava maduro para um relançamento pelos media da crise grega e o seu corolário, o fim do Euro! (...)

Continua Aqui

Fada do bosque disse...

Resolvi destacar do artigo isto também:

(...)No entanto, é realmente este espaço de discussão que permite aos eurolandeses avançar no caminho de uma solução durável para a crise actual. Este espaço de discussão faz parte integrante da construção europeia ou das visões contraditórias dos métodos e das soluções que se confrontam antes de finalmente chegar a um compromisso (e este é o caso como o provam as decisões muito importantes tomadas desde Maio de 2010). Amplia-se assim o debate a uma multidão de actores, vindos de 17 países diferentes, de várias instituições comuns, e ele está ancorado nos debates de 17 opiniões públicas [21] . Ora, é do confronto de ideias que emana a luz: da confrontação brutal das ideias, o filósofo grego Heráclito dizia há 2500 anos, "alguns fazem-se deuses, alguns fazem-se homens, alguns fazem-se escravos, alguns fazem-se homens livres". Os cidadãos da Eurolândia recusam que esta crise os transforme em escravos e é para isso que os actuais debates intra-europeus são necessários e úteis. Em três anos, entre 2008 e 2011, eles permitiram nomeadamente duas coisas essenciais para o futuro:(...)

Cunha Ribeiro disse...

" Tendo a Democracia nascido na Grécia..."
Ousaria acrescentar:
" ... e falecido em Portugal..."

Fada do bosque disse...

Sr. Embaixador... não fique triste... pode ser que quem provocou tanto mal, leve agora com o tiro pela culatra!
Diz a sabedoria popular que Galo cantador é pouco galador.- É caso para reparar nas agências de rating e indo mais longe, o Obama!

Galo que acompanha pato morre afogado.- ehehehehehehe!!! Esta está demais! :) Então será que 17 cabecinhas a pensar, valem assim tão pouco? Veremos...

Helena Sacadura Cabral disse...

Ai Senhor Embaixador que verdades a sua e a do comentador Alexandre Rosa!

Julia Macias-Valet disse...

Também (a) Europa nasceu na Grécia...

Anónimo disse...

pequena provocacao

entao mas a europa nao nasceu na grecia

nasceu mas foi a seguir a guerra para dar uma ajuda ao marshall

ora o marshall ja nao e o que era, a russia, que antes nem de podia ver, passou a ser visita de casa da alemanha

entretanto as lojas dos 300 mudaram de donos

e os caseiros que antes exploravamos ha muito que o deixaram de ser. alem disso alguns
estao bastante bem, e com sorte sao eles que nos safam a nos,

coisa que acho que a familia ainda nao percebeu

e nos, a familia, la finalmente comecamos a perceber que nao se pode gastar o que nao se tem, pelo menos uma parte de nos

resta saber o resto...

bh

Julia Macias-Valet disse...

Obrigada por nos relembrar que Fausto nos (en)cantou com a sua Bela Europa ; )
E esperemos que ninguém a rapte mais ; )

Querida Fada...nao consigo ter tempo para ler tudo o que escreve : (

Fada do bosque disse...

Querida Júlia... não fui eu que escrevi...Não faz mal que não consiga, ler pois não acredito naquilo que lá está. Acredito nas teorias da conspiração. Acredito que esta crise foi pré-determinada para acabar com o excesso de população mundial, especialmente na Europa onde os recursos não abundam e a utilização do armamento torna-se urgente para que os mesmos possam ganhar ainda mais. Acredito que os políticos para terem o seu lugar cá na Terra e ficarem ricos, se venderam ao poder bancário, condenando os seus povos! Acredito que o impensável vai acontecer como aconteceu no século XX, só que desta vez a escala é maior e as consequências vão ser de tal forma, que quem "sobrar" para reescrever a História irá perguntar como foi tal Armagedão possível e acredito que uma ditadura irá reinar aliada à tecnologia para oprimir os desgraçados que sustentam a pirâmide do poder. Esta sim feita do sangue humano...
Agora chegou a nossa vez, logo que oo euro colapse teremos a Nova Ordem. Mas isso sou eu que acredito em conspirações...