terça-feira, 22 de agosto de 2017

Segurança

Às vezes, pergunto-me se as pessoas têm um mínimo de sentido de responsabilidade sobre os riscos do mundo em que vivem.

O que se está a passar em torno das medidas de segurança que estão a ser prudentemente tomadas, como preventivas para possíveis atos terroristas, é de uma estupidez que raia a inconsciência criminosa.

O mínimo de bom-senso recomendaria uma total discrição sobre este tema, que se prende com a segurança do país e dos seus cidadãos, o que em todo o mundo civilizado é um sempre tratado como um "não-assunto".

Mas cá não: um bando de inconscientes publica, na comunicação e nas redes sociais, abundantes fotografias dos obstáculos montados, compraz-se em gozar com as suas presumíveis fragilidades, utiliza mesmo o assunto como arma de arremesso político. 

Só posso desejar que, se e quando uma dessas tragédias eventualmente, nos vier bater à porta, familiares ou amigos desses "brincalhões" não venham a andar por perto.

4 comentários:

Anónimo disse...


Isto é assim....

No resto da Europa há assuntos de segurança que não se transmitem.

Em Portugal isso nem sempre acontece, para dar vantagens aos partidos por revelações que podem ser consideradas no resto da Europa como não desejadas.

Mas...Portugal sendo um país democrático não deve limitar o conhecimento à sua população.Isso era dantes quando havia censura. Agora......

Anónimo disse...



O último parágrafo não será um pouco guerreiro de mais para um pacífista que terá ajudado a terminar a guerra colonial.
Terá sido assim que começaram as guerras civis.

Anónimo disse...

Muitas vezes, pergunto-me se as pessoas têm um mínimo de sentido de responsabilidade sobre os riscos do mundo em que vivem. Mas creio que não teem, porque se não ja tinham escorraçado a paulada os politicos que nos andaram a tentar convencer e obrigaram a acolher refugiados do medio oriente, qente que nao conhecemos de lado nenhum nem sabemos ao que vinham.Refugiados de instabilidade que foi causada por esses mesmo politicos com as suas guerras "pela democracia". Ah e os paises que nao quiseram receber essa gente levaram com penalizacoe. Afinal quem é que é inconsciente ?

Mas nada disto é novo, ca pela europa ja houve atentados terroristas bem mais sangrentos nas decadas de 70 e 80 e veio-se a descobrir que os que foram incriminados na epoca estavam inocentes e que afinal tinham sido celulas células stay-behind da nato em Itália era Gladio, Dinamarca se denominava "Absalón", em Noruega "ROC", em Bélgica "Sdras", e a lista segue...

Para quem se interessar em saber :

http://www.youtube.com/watch?v=vka7Da6e9LY

https://www.youtube.com/watch?v=sIXVsMiyoCA

Anónimo disse...

Eu gostei foi de ver a televisão a fazer uma revisão dos atentados da ETA a propósito destes cometidos por muçulmanos. Curioso foi ver que um tipo ao volante de uma carrinha mata mais do que a maioria dos "atentados" dos bascos. E, finalmente, houve portugueses mortos!