terça-feira, 6 de setembro de 2016

Costa e o Brasil

Uma nota rápida mas, pelos vistos, necessária.

Nenhuma, repito, nenhuma leitura restritiva dos contactos que o primeiro-ministro português venha a ter com as autoridades brasileiras, durante a sua estada no país, tem a menor, repito, a menor legitimidade. 

É sabido que, no seio das forças políticas que apoiam o governo, a começar pelo PS, há muito quem pense que o afastamento de Dilma Rousseff e a ascensão de Michel Temer à presidência brasileira são atos feridos de irregularidades. Cada um é livre de pensar o que quiser sobre o assunto. Só que isso é, em absoluto, irrelevante para a política externa portuguesa. 

Portugal não se relaciona com regimes políticos, relaciona-se com Estados. Era o que faltava que estados de alma de natureza político-ideológica, assentes em leituras constitucionais exteriores da situação política brasileira, viessem a projetar-se, ainda que ao de leve, nesse imenso tecido histórico que hoje constitui a importante malha do relacionamento luso-brasileiro. 

O Ministério português dos Negócios Estrangeiros, pela voz avisada do seu ministro, já disse o que precisava de ser dito. Assunto encerrado, pois.

20 comentários:

APS disse...

É evidente que o pragmatismo é inócuo, asséptico, e exclui a ética - por palavras diplomaticamente correctas, até pode assobiar para o lado, no passado, e apoiar o pacto germano-soviético ou manter relações com o regime de Pohl-Pot. Mas é certo que há mais vida para além do lavar de mãos de Pilatos. Como dizia Sophia, (vou citar de cor) "...As pessoas sensíveis são capazes de comer galinhas/ mas não são capazes de matar galinhas..." - no fundo é tudo uma questão de estômago.

Anónimo disse...

Fui a favor do Impeachment, mas agora estou torcendo para que a Dilma volte. Para calar a boca dos que dizem que foi golpe. Vão sentir na pele toda a incompetência e a falta de tino para coisa, que ela junto com o Lula e o PT (Perda Total), demonstraram nesses 14 anos de desgoverno. Vai ser a derrocada total do Brasil, só assim os brasileiros poderão se livrar de vez dessa "esquerdalha" burra e incompetente.

Joaquim de Freitas disse...

Há comentários que têm mais impacto se os deixámos sem resposta. Dizem assim o abismo no qual se encontra uma parte importante da humanidade. O das 14:00 é abissal...

Reaça disse...

Ao Costa nada o atinge.
Nem a Catarina nem o Jerónimo nem o Passos têm moral para falar do que move o Costa.
De qualquer maneira nem a Presidenta nem o Temer sabem quem é esse tal do Costa ou mesmo Marcelo.
Estes últimos 40 anos, apenas Fernando Henrique Cardoso sabe qual é a terra de seu Pedro Alvares Cabral.

Anónimo disse...

o das 19:14 é professoral, doutoral, genial. Argumentação é uma troca de conhecimentos. Discussão é uma troca de ignorâncias.

Anónimo disse...



(caixa deixada em branco como não-resposta ao Freitas)

Anónimo disse...

Daí que deveríamos abrir uma embaixada na Coreia do Norte. Salazar manteve relações diplomáticas com a Alemanha de Hitler até ao fim. E nós com a África do Sul do Appartaid. E tivemos sempre o cuidado de manter boas relações diplomáticas com todas as antigas ditaduras latino-americanas. E os outros países connosco, ao tempo do Velho das Botas. E nós com todos os países do Pacto de Varsóvia. E hoje com essa democracia exemplar, subsidiária do terrorismo islâmico, a Arábia Saudita. Um Estado não olha a regimes, mas a interesses. Embora depois faça a cena teatral costumeira, para "inglês ver", de noutros palcos internacionais, como as NU, em Genebra por exemplo, etc, se bater pelos direitos humanos (!?), contra o autoritarismo de certos regimes, etc. A diplomacia e a política são duas "putas" imensamente respeitáveis que têm dois tipos de conversa: para quem lhes paga e para os outros. Ou seja, no caso dos Estados, tendo em conta os interesses politico-económicos e os outros sem essa vertente. Quem levar a sério a suposta sinceridade das declarações desta gente, do tal mundo político-diplomático, não deve ter todos os parafusos da caixa craniana a funcionar.
Boa noite!
a) Virgílio Bastos

Manuel Silva disse...

O grande intelectual Umberto Eco, recentemente falecido, referindo-se à Internet e às Redes Sociais, disse: «As redes sociais deram o direito à palavra a uma “legião de imbecis” que, antes destas plataformas, apenas falavam nos bares, depois de uma taça de vinho, sem prejudicar a colectividade. Aí [os imbecis] eram imediatamente calados, mas agora têm o mesmo direito à palavra que um Prémio Nobel. O drama da Internet é que ela promoveu o idiota da aldeia a detentor da verdade».
Servindo-me das palavras de Umberto Eco, é o que se me oferece dizer sobre um imbecil (ou mais, não sei e se trata do mesmo ou de vários) que estacionou no Duas ou Três Coisas, em que a única coisa que faz é provocar, ora o Sr. Joaquim Freitas, ora a nossa inteligência.
E o mais triste disto é que os imbecis, por sê-lo, não reconhecem essa sua condição nem as figuras tristes que fazem.

Anónimo disse...

Nao concordo. Ja q a diplomacia é tao desprovida de moral podia pelo menos esperar mais umas semanas. Costa deve ser criticado pelos democratas bem como santos Silva. No fundo a propria necessidade q o autor deste blog tem de puxar os galoes sobre o tema, na sua condicao de ex diplomata ja é uma especie de reconhecimento q n foi uma decisao facil. Volto ao inicio. Devia se ter esperado mais. Se fosse o psd a ir ao brasil falar com temer costa estaria a rasgar as vestes em nome dos anti golpistas, esta é q é esta. Um abraço

Anónimo disse...

@APS 6 de setembro de 2016 às 13:46

Já que fala em Pol Pot, sabe quem gostava muito dele e o apoio-o?
Margaret Thatcher e Ronald Reagan, é so pesquisar no Google ;)

Anónimo disse...

O que esta irresponsável do BE queria era que o Primeiro Ministro de Portugal fosse ao Brasil e se recusasse a falar com o Presidente de lá. Isto ultrapassa todos os limites da estupidez, da falta de decoro, da inteligência, do urbanismo...

A JOGATANA disse...

A esquerda tuga é estúpida até à medula...ou faz-se.

O que vale é que é tudo uma brincadeira!

Ao Costa nem os incêndios aquecem nem arrefecem, Costa é um caso muito sério.

Anónimo disse...

Costa com Temer, Costa com José Eduardo dos Santos.
O PS, enfim, é isto.
Acham-se sempre os melhores e depois ficam a apanhar bonés.

Anónimo disse...

Na TV brasileira havia um programa "Provocações" seu titular o ator Abujamra. Faço uma provocação. Como alguém já comentou sobre as terras de Pedro Alvares Cabral, os presidentes do Brasil, tanto faz como tanto fez, "não está nem aí". Passaria desapercebido se o tal fulano de Portugal, falasse ou não falasse! "Um Estado não olha a regimes, mas a interesses", e o Brasil tem pouco interesse em Portugal. Nem a língua falamos a mesma.

Joaquim de Freitas disse...

MESMO O CRISTO ABANDONA O BRASIL
Quem é que falou de hegemonia para saquear o mundo? Tudo evolui. Mesmo os “golpes de Estado” agora são “low cost” !
No Brasil, o artifício dà menos nas vistas que um desembarque de Marines de outrora, os Boinas Verdes, as tropas de elite, os esquadrões de imigrantes como na baia dos Porcos, em Cuba, a frota e os porta-aviões perto das costas, os drones bizarros, os bombardeamentos “cirúrgicos” sem anestesia, a artilharia pesada!
Não, não, o imperialismo trocou, para o momento, a canhoneira e o bastão bem grosso, os centros de tortura, os desaparecidos, os “voos da morte”, pelo imperialismo “soft, os golpes de Estado de veludo, com pseudo parlamentares, pseudo institucionais, com programa de sapa da CIA, das fundações e agências subversivas (NED,USAID), e de destabilização em vivo dos regimes progressistas da América Latina, por uma guerra mediática, económica.
Se o rosto e os métodos do Tio Sam mudaram ( momentaneamente), os objectivos restam os mesmos : dominar o mundo por conta das multinacionais, empanturrar-se das riquezas e de lucros sem fim, trazer para casa os rebeldes, os carneiros pretos, estrangular as resistências.
O recente hold-up eleitoral do século, a destituição anti-constitucional da Dilma Roussef, sem prova de corrupção, de desvio, de conflito de interesses, de enriquecimento pessoal, sem contas na Suíça, por uma mão cheia de eleitos na maioria mafiosos, com contas a prestar à justiça, à qual fogem como ratos, chama-se, qualquetr que seja a camufagem “democràtrica”, um golpe de Estado.

Reaça disse...

Oi provocador, Claro que que os brasileiros não falam a mesma língua, uns falam carioca outros baiano outros paulista e assim por diante.
Mas o maior desgosto dos brasileiros foi o Brasil não ter sido descoberto pelos norte-americanos.
Que maravilha seria...ver aquelas canoas dos apaches e dos comanches com todos os heróis da disneylândia aos remos subindo a baía da Guanabara com os guaranis entoando o grito do ypyranga.

Anónimo disse...

Só é pena que o Freitas se recuse a sair da capitalista e extremo-direitista França e não vá contribuir para a felicidade dos povos "libertados". Bem sei que intelectuais é o que não falta no terceiro mundo mas, que raio, os intelectuais são como as cerejas.

Anónimo disse...

Discutindo o "sexo dos anjos" não se preocupando com a "maioria pouco silenciosa" que vai entrando na Europa ...

Continuem a"dormir" !

Anónimo disse...

Ó Anónimo das 14 e restantes horas, o Freitas quer é árabes, ele gosta é de arrnjar casas aos árabes.

Anónimo disse...

Faço minhas as palavras do Umberto Eco. Basta olhar para individuos como o Manuel Silva.kkkkkk