domingo, 7 de junho de 2015

A raça verde-rubra

A clubite é uma coisa terrível. A avaliar pelo que leio e oiço nas últimas horas, começa a surgir (de uma clandestinidade de anos, claro) essa imensa legião de benfiquistas que "sempre" acharam Jorge Jesus um "tipo sem classe para o Benfica" e de sportinguistas que, "lá no fundo", tinham uma "grande admiração" pelo novo treinador do clube. Está-se mesmo a ver que, aos primeiros, nunca ninguém terá ouvido um elogio aberto ao treinador que agora abandona a Luz e, dos segundos, não consta que tenham saído alguma vez palavras críticas ou desdenhosas sobre o homem. Daqui a umas semanas, esta nova "raça" transformar-se-á numa imensa onda maioritária. Uma onda "verde-rubra", porque, infelizmente, ela representa bem o que é a espinha dorsal de Portugal. É muito triste, a clubite.

3 comentários:

João Pedro Garcia disse...

Eu cá sou do Benfica e queria que Jorge Jesus tivesse continuado no Benfica. Quanto aos Presidentes dos dois clubes em causa, é melhor não dizer nada. Uma vergonha! No meu tempo, o futebol servia para distrair as pessoas quando não havia mais nada para fazer. Agora, serve para tentar distrair as pessoas dos problemas que têm todos os dias. Será que os portugueses são parvos?

a) Jaime Graça

L M D disse...

É com muito orgulho que sou simpatizante leonino e, fico com esse orgulho magoado pela maneira indigna como o meu clube está a tratar Marco Silva.
Quanto a JJ, espero que consiga atingir os objetivos que todos os sportinguistas desejamos.

Maria disse...

espinha, espinha dorsal... na bandeira verde rubra sempre ha a esfera armilar, espinha dorsal um pouco torcida, convuluta...

Bom domingo com sol e paz. Vou ler o jornal com os comentarios ao final da taca europeia que ontem espreitei em casa de amigos.

F. Crabtree