quinta-feira, 27 de novembro de 2014

A imprensa e o processo Sócrates

Vai ser muito interessante - melhor, já está a ser - seguir o comportamento dos diversos meios de comunicação social no acompanhamento do processo de José Sócrates. 

Alguns jornais foram beneficiados por informação privilegiada no dia da detenção do antigo primeiro-ministro, oriunda da investigação, com o objetivo de credibilizar as teses da acusação. A similitude daquilo que foi publicado pelo "Sol" e pelo "Correio da Manhã" revela bem essa origem comum. A SIC e, ao que me lembro, a TVI tiveram apenas direito ao "leak" da chegada de Sócrates ao aeroporto, aliás mal aproveitado. De certo modo, houve alguma naturalidade na escolha dos jornais privilegiados: o "Correio da Manhã" é o órgão que maior atenção dedica às questões criminais e a jornalista do "Sol" tem um histórico assinalável nesse domínio.

Fica claro que, tomada que foi a decisão de deter o antigo primeiro-ministro e atenta a expectável repercussão política e social que esse ato sempre provocaria, os acusadores sentiram necessidade de publicitar, simultaneamente, os fundamentos em que assenta o processo, como forma de rodear a decisão de alguma legitimidade. Assim, e contrariamente a outros casos em que o jornalismo de investigação teve um papel fundamental, desta vez os jornais e as televisões começaram por operar exclusivamente com base naquilo que os "deep throat" da polícia ou da magistratura lhes transmitiram. Não sendo profissionalmente "glorioso", sempre é melhor que nada. E, de passagem, também não vale a pena sermos ingénuos ao ponto de pensar que o "inquérito" que a Procuradoria-Geral da República vai lançar para tentar "descobrir" os responsáveis pelas "quebras do segredo de justiça" terá alguma consequência. É como se tentássemos olhar para as nossas próprias costas...

O tema promete não esmorecer nos próximos tempos. Aliás, o surgimento da carta de José Sócrates, que parece denunciar a sua intenção de intervir ativamente por via mediática, numa forma pouco vulgar de "defesa" pública, acaba por tornar-se muito interessante para a imprensa, que agora passará a aguardar os "próximos capítulos". A comunicação social vai ser sujeita a um constante teste sobre o rigor da suas análises, sobre a sua maior ou menor disposição para resistir aos "fait-divers", sobre a sua capacidade de identificar factos concretos e de saber separá-los de meras suposições. Esperam-se dias movimentados na frente jornalística, agora que um novo "nicho" temático se abriu.

17 comentários:

Anónimo disse...

Sr Embaixador pela hora do seu post e resposta do meu, andamos a dormir mal. Quer dizer, insónias dos acontecimentos. Mas falando a serio, tem toda a razão.
Nem preso, o mantêm calado. Parece o sempre em pé este Sócrates.E os sobressaltos que mesmo preso provoca nas hostes.É um guerreiro indomável.

Anónimo disse...

Isto é guerra. Guerra politica, judicial e jornalistica.

Vão ser utilizadas todas as armas. O MP começou mal. Se querem saber a origem das fugas é muito fácil. Vigiem a senhora, coloquem o seu telefone sob escuta por violação do segredo de justiça.. chegavam... a eles próprios!

Anónimo disse...

A declaração de Sócrates faz parte da sua técnica de intimidação, que tão bom resultados lhe deu enquanto PM.

Nota-se claramente que está a ser feita uma tentativa de pressionar os magistrados e o sistema judicial português, como foi possível ver nas infelizes declarações de ontem de Mário Soares.

Esperemos que a justiça continue o seu caminho e seja capaz de punir algumas situações lamentáveis que se verificam em Portugal e trazer de novo a correcção para a vida pública.

ignatz disse...

a sic e a tvi repetem o que o sol e o correio da manhã dizem, o observador publica excertos anotados. estão todos ao mesmo nível é escusado dourar a pílula e tirar os amigos do barulho.

Anónimo disse...

Chamem os gajos dos aventais!!!

(ai espera, um deles já está em campo)

Anónimo disse...

Mas alguém ainda perde tempo com isto????

Anónimo disse...

A investigação, ao que parecer, tem mais de um ano.
Entretanto, a imprensa, nomeadamente o correio da manhã, tem feito a cama, alisado o caminho para o desfecho que agora ocorreu.
Quem, ao longo deste tempo, tem alimentado essa imprensa? Com que intenção?
A decisão do Presidente da República (pelo menos na aparência, respeitador dos rituais a que o cargo obriga) em não condecorar Sócrates deve-se a quê?
O aparente à vontade do Governo, no sentido de achar que mesmo aldrabando e trucidando os portugueses havia de ganhar as próximas eleições, deve-se a quê?
Não faço a mínima ideia da culpabilidade de Sócrates, mas lá que tudo isto interessa a muita gente, lá isso interessa.

Nota: patética, a intenção da PGR mandar fazer um inquérito para apurar quem violou o segredo de justiça, derramando para a imprensa informação sobre o processo. Eu, na minha casa, pela forma como as patifarias ocorrem, sei sempre qual dos meus filhos anda a "fazer chichi fora do penico". Que tal processar os órgãos de informação que procedem a essa violação? Não se pode mandar matar o mensageiro, mas nesta situação não é disso que se trata. A imprensa não tem sido (na situação de Sócrates e noutras) o mensageiro mas parte na contenda. E nada obriga a imprensa a violar a lei, pondo em causa direitos fundamentais dos envolvidos nos processos. Quem o faz, é de forma consciente, deliberada e, se calhar, a mando. Porque não pagar por isso?

David Caldeira

Anónimo disse...

O cante alentejano património da humanidade. Ironias do destino.

David Caldeira

Anónimo disse...

Acho sempre curioso que se assuma (mas nada se conclua) que Sócrates veio voluntario sabendo o que o esperava, mas se alguém o esperava, como um canal de televisão, já esse facto se deve a uma fuga de informação. E o anterior, deve-se a quê? Propriedades especiais de adivinho?

Anónimo disse...

Depois de 40 anos de PIDE, temos a nova versão:PIDS & Aventais.

Antonio Cristovao disse...

Vale a pena colocarem-se na pele dum jornalista de investigação- isto só para quem gosta mais da verdade do que as politicamente correctas que se espalham como paezinhos quentes - e imaginar o que fariam se tivessem conhecimento que o motorista e o melhor amigo foram presos? Sobre as acusações, que desde junho se sabiam, basta consultar os escritos da Felicia Cabrita desde há varios anos(agora talvez tenham que lhe pedir desculpa dos enxovalhos que lhe têm feito) para termos temas para varias paginas de palpites.
Quem gosta da verdade mais do que a defesa dos amigos encontra sempre maneira de olhar as coisas por varios angulos.
Uma coisa é certa desde que mudaram o procurador, a direcçao do Dciap e o sepremo, as policias(que são as mesmas) até trabalham com mais afinco.

Francisco Seixas da Costa disse...

Caro António Cristóvão. Onde é que, naquilo que escrevi, pode encontrar a menor crítica aos jornalistas ou jornais que publicaram as informações?

Anónimo disse...

20.000.000 €.
Um trabalhador a ganhar 1.000 €/mês consegue poupar isso em pouco mais de 1.600 anos se não gastar.
Porque é que Sócrates não diz logo de onde veio o dinheiro para gozar a fortuna em paz ?

Anónimo disse...

Não gosto de José Sócrates!
Nunca gostei, é um prepotente, sempre foi e detesto pessoas prepotentes.

Esta minha opinião (de certo modo em contraponto a um famigerado artigo recentemente publicado) nada tem a ver com política. Tenho bons amigos no PS (no bom) e a minha consternação é para com eles, nunca por Sócrates.
Dito isto, Sócrates é hoje o tal 'animal feroz' (o epíteto não é da minha autoria) ferido o que, como é do senso comum, o torna mais perigoso (aqui substituiria perigoso por prepotente).
Elaborava eu, aqui 'à atrasado', sobre esta minha teoria e, eis senão quando, surge a famosa carta ditada de uma cabine telefónica a um escriba arregimentado para o efeito (é interessante o exercício de conferir algum grafismo a esta situação). Mais, apensa à dita carta vem a promessa de 'próximox capítulos'.
Ora digam lá se não vislumbram aqui a prepotente postura de "então o Sr. Juíz atribuiu-me uma medida de coação que me impedisse de interferir e de influenciar diretamente n condução do processo! Então aqui tem, em bandeja de prata, a minha interferência!".

Manuel Mendes

Anónimo disse...

31 da Armada-blog;

"coisinhas boas
por Rodrigo Moita de Deus, em 27.11.14
Passos Coelho é suspeito de ter metido umas facturas de almoços numa ONG há vinte anos. Sócrates é acusado ser corrupto enquanto primeiro-ministro. Para os mesmos comentadores o caso tecnoforma revela “falta de carácter de Passos Coelho”. O caso Sócrates revela “um problema de regime do país”. Os mesmos comentadores"


patricio branco disse...

já estou por tudo e não me faz a mínima diferença que alguns meios tenham sido privilegiados ou beneficiados, sócrates fazia aiás o mesmo, distinguia bem entre tvis e sics, etc.
o que se vai passar vai ser uma distracção diária neste país, desde o que se escreve, ao que se noticia, ao que se comentará, às cartas que socrates ditará da prisão, aos twiter da mulher de joão araujo, enfim, uma festa é o que vamos ter, carnavais antecipados.

António da Cunha Duarte Justo disse...

Os tais dos aventais não seriam sequer mestres se não procurassem enredar a questão. Facto é que o país se encontra arruinado pelo agir de inocentes milionários em que a honra do Estado não conta porque se contasse não estava na dependura porque teria amigos também. Facto é que temos um país com tantos problemas semelhantes aos das PPPs e ninguém investe tanta energia na sua discussão para que se solucionem autênticos desvios do erário público. Num país assim vale a pena ser político. Tudo se desobriga porque quem paga a conta é o Estado. E, quando o Estado rastejaainda se queixam que as pensões sejam reduzidas.