sábado, 22 de novembro de 2014

A fuga

Alguns mostram-se escandalizados pelo modo algo teatral como José Sócrates foi detido, com oportuno aviso prévio à comunicação social.

Não concordo com esta interpretação e até percebo a lógica policial: a sua detenção no aeroporto deve-se ao facto de haver um evidente risco de fuga para o estrangeiro, a partir do momento da sua entrada no país...

15 comentários:

ana paula disse...

Nem mais!

jj.amarante disse...

Claro que sim. A nossa polícia é inexcedível no seu zelo. Sabendo que o presumido inocente não se podia ausentar do país quando estava no estrangeiro cuidou de o prender prontamente mal essa possibilidade de se ausentar do país se tornou real: desde que pisou o solo pátrio que se corria o risco que ele se ausentasse do país!

Anónimo disse...

1.Ricardo Salgado, que deve ter roubado muito mais a muito mais gente, a crer nas notícias e se é que Sócrates roubou, continua a fazer a sua vida entre o Estoril e Cascais.
2. Esta detenção tem lugar uns dias depois do escändalo dos vistos gold e na vêspera do congresso do PS. Estranho.
3. Espero que a Justiça tenha um dossier bem constituído sobre José Sócrates.
Janus

Anónimo disse...

Sobre este caso, acabo de ver agora mesmo, na SIC, uma jornalista a ler alguns Posts de alguns Blogues, entre os quais este mesmo, chamando á atenção para a sua ironia (só errou ao chamar-lhe "ex-diplomata").
P.

Manuel do Edmundo-Filho disse...

Pois, o (pressuroso...) Carlos Alexandre estava com receio que Sócrates desse meia volta...

Anónimo disse...

Congresso? - até pode ser "leit-motive" para ser um grande congresso até pode ser a união das partes desavindas - assim espero


Zé da Adega

opjj disse...

Acho espectáculo a mais.A polícia tinha obrigação de cuidar das pessoas mas faz o contrário.Não se deixa noticiar o pior da degradação humana.
cUMPS.

Anónimo disse...

Penso que não é isso...
Não queriam era que eventualmente em casa ele alterasse algo...por isso a diligencia de hoje.
De qualquer forma, é preciso que o Correio da Manhã, perdão, a Justiça funcione...

Caelos Andrade - VNGaia

Anónimo disse...

Os jornalistas são bruxos ou apitaram aos ouvidos

Anónimo disse...

E finalmente compreendo a falta de reacção do governo ao convite feito a Sócrates para comentador da RTP.
Comparando a violência agora demonstrada sobre a compra dos direitos da Champions, o silêncio de então torna-se agora claro para mim.
O convite teve obviamente a anuência do governo, sabendo muito bem que a (detestada)presença semanal na RTP, combinada com comentários depreciativos noutras TVs (Quadratura, Eixo do Mal...), manteria bem viva a chama anti-Sócrates, bem alimentada pela permanente campanha oficial da "bancarrota".
Com o episódio em curso, é atingido o climax anti-Sócrates e anti-PS, que atingirá duramente António Costa e durará bem para lá das próximas eleições.
E ainda há quem pense e diga que eles não têm um plano/calendário. Claro que têm, e bem elaborado, só falta saber onde é a central de comando operacional!

Carlos Fonseca disse...

Clara Ferreira Alves publicou no Expresso on-line um texto a merecer atenção. Sobretudo da Procuradora Geral da República.

Mas talvez a senhora aprecie mais as "investigações" da inFelícia Cabrita

http://expresso.sapo.pt/a-justica-a-que-temos-direito=f899406

Anónimo disse...

Oportuno o comentário de Carlos Fonseca. Também li o artigo e gostei.
P.

Anónimo disse...

Consta que os magistrados, cujo amor por Sócrates e conhecido, estão desolados por a detenção do dito ter ocorrido no dia da eleição do SG do PS. E que dizer dos pobres jornalistas que por azar estavam no aeroporto quando Sócrates foi detido.

Fernando Neves

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Caro Francisco

Contra o que me é habitual vi esta madrugada na SIC o Eixo do Mal a quem tiro o meu chapéu. Sobretudo a Pedro Nunes pela verticalidade e isenção do seu comentário.Ou melhor, a todos os intervenientes.

Houve "fuga" de informação bem planeada mas com deslizes: essa do jornalista duma televisão, a TVI (não estou seguro) "ir a passar" por ali e logo quando Sócrates era detido. Basta de tanto arranjismo.

Acabo. É-me muito estranho que um cidadão volte ao "local do crime", no caso ao país dele para logo de imediato sair dele... É a melhor anedota desta semana. Por isso concordo consigo, caro Francisco e com todos outros que tiveram a mesma opinião...

Abç

Palha de aço disse...


"Deve ser detido logo que regressar a Lisboa para que não possa prejudicar a investigação ocultando ou eliminando provas".
É óbvio que esta razão é inteiramente plausível e que argumentar que foi um inqualificável e desnecessário abuso sobre quem regressava a Portugal (e não partia) é, ou ingenuidade, ou achar que os outros são todos imbecis.