quarta-feira, 4 de junho de 2014

"Granta"

A "Granta" é uma revista/livro que descobri há muitos anos, creio que quando vivi em Londres. Apelativa pelo grafismo elegante, embora sóbrio, incorpora quase sempre um interessante e pretendido "new writing", muitas vezes com autores muito pouco conhecidos, ao lado de nomes consagrados, misturando a ficção com outros registos. Comprei, ocasionalmente, algumas das edições temáticas, às vezes em alfarrabistas, que vou lendo a espaços - porque a "Granta" é uma publicação que se lê sem pressas. É uma revista para se ir lendo.
 
Há meses, vi que a "Granta" ia publicar uma edição em português (a "Granta" tem outras edições, além da original inglesa, sendo que a francesa, talvez não por acaso, nunca existiu), sob a batuta culta e de bom gosto de Carlos Vaz Marques, figura que só conheço dos "media", mas que verifico ser sempre garantia de qualidade em tudo aquilo em "que se mete". A "Granta" portuguesa é igualmente excelente. E acho magnífico que, num tempo de crise, haja coragem para avançar com este tipo de iniciativas. Leiam o seu nº 3 "Casa". Eu já comecei a ler. 

4 comentários:

Anónimo disse...

Não tem nada a ver com este texto mas talvez se interesse pela festa de Cabo Verde, no Instituto Francês de Lisboa.

www.ifp-lisboa.com/index.php/agenda-detail-evenement/events/festa-de-cabo-verde.html

Eu gosto particularmente da seguinte frase da newsletter:

"(...) cet archipel de l’Océan atlantique lié à la France par son histoire, sa littérature et sa musique."

Isabel Mouzinho disse...

Concordo consigo. Também gosto da Granta, da qual no entanto apenas conheço a versão portuguesa, que vou lendo devagar...

patricio branco disse...

uma boa iniciativa a granta em português, por alguma razão ainda não me decidi a comprar e ler nenhum dos 3 números aparecidos, folheei os nas livrarias. depois deste post penso de novo espreitar a revista.
a granta orgulha se de ter "descoberto" bons autores de lingua inglesa, publicando os quando eram desconhecidos, jovens escritores nas suas tentativas iniciais. alguns são hoje de facto autores consagradoas e vendidos bem, sobretudo ingleses.
desconheço se há a granta em espanhol ou noutras linguas alem do ingles e português.
bom sinal editar se em português, sinal que temos escritores que merecem atenção e leitura e que haja editores portugueses a entrar em tal projecto que tem riscos comerciais tambem.
sucesso à iniciativa portanto, etc etc

Isabel Seixas disse...

Vou seguir a sua sugestão, logo que a encontre à venda.