quinta-feira, 27 de junho de 2013

Maria José

Éramos muitos, naquele quente final de tarde de ontem, no belo espaço da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa. O pretexto foi uma biografia de Maria José Nogueira Pinto, mas a razão real por que alí nos tínhamos deslocado era ter um ensejo para celebrar a memória de uma amiga que a todos nos faz muita falta.

Gostei de ouvir a evocação sentida de Manuela Ferreira Leite, que apresentou a obra. Foi interessante ouvir um testemunho de quem se cruzou com a Maria José na vida política e que cedo percebeu que ela, em tudo o que fez, esteve sempre como uma pessoa "inteira", com um projeto de vida, que apenas adequava às oportunidades que se lhe apresentavam de servir a comunidade a que pertencia.

4 comentários:

Jose Tomaz Mello Breyner disse...

Também lá estive ontem Senhor Embaixador, mas não aguentei até ao fim. Dei um beijo às minhas primas, comprei e pdei à minha amiga João da Camara que me assinasse 2 livros, e vim-me embora antes que a Dra Ferreira Leite começasse a falar, não só pelo calor mas também muito pela oradora

Anónimo disse...

Homenagens intestinas - no sentido alegórico, claro.

margarida disse...

Esta memória merecia outros comentários.
Como diz a poesia: "loving is so short, forgetting is so long"
Ainda bem que amigos e amores não lhe faltam. Não lhe faltarão nunca e deixarão recado aos vindouros-
O que o mundo necessita de gente de bem. De gente verdadeiramente boa.
Que descanse em paz. Merece-o.

São disse...

De Maria José Nogueira Pinto, que nunca vi em pessoa, tenho a impressão de uma pessoa inteligente, frontal , com posições ( a maior parte divergentes das minhas) bem defendidas com argumentação à altura.

Que esteja em paz!