terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Agradecimento

Diversas e amigas mensagens saudaram o aniversário deste blogue. De todas elas, permitam-me que destaque a qualificação feita pelo nosso por "Criativemo-nos", que crismou este "Deux ou Trois Trucs" (sic) como "terna aldeia íntima num cenário cosmopolita".

Um sincero muito obrigado a todos. E, como diria aquele locutor de TV, "prontos", acabaram as comemorações.

2 comentários:

Margarida disse...

Lê-se por aí que este espaço se tornou essencial.
Que passou a vício e outras urgências inadiáveis.
Facto.
Entra-se (com uma ligeiríssima vénia) e os olhos perdem-se pelas molduras, pelos jarrões e nos mil objectos votivos em sucessivas prateleiras.
Envolve-nos a força da palavra em armadura de ideias, feita mestre-de-cerimónias e valete, antecâmara do pensamento convocado, sal da réplica, especiaria do porvir, salpicando os instantes suspensos de um dado júbilo, como bandos de sorrisos secretos.
Daqui se parte, em voo súbito.
Flutuam miríades daquilo que talvez se possa identificar como…’felicidade’?
E…

DO QUE SE NECESSITA PARA A FELICIDADE?

[MI KELL A BOLDOGSÁGHOZ ?]


Posto assim,
não muito:
dois seres,
uma garrafa de vinho,
queijo do país,
sal, pão,
um quarto,
uma janela e uma porta,
lá fora, que chova,
chuva de longos fios,
e claro, cigarros.
Mas, ainda assim, de muitas noites
apenas uma o duas vezes resulta,
como os grandes poemas de grandes poetas.
O mais é preparatório,
ou epílogo,
dor de cabeça,
ou espasmo de riso,
não se pode, mas deve-se,
é demasiado, mas insuficiente.

PÉTER KÁNTOR

versão de JLBG e Juan Carlos Mellidez
a partir da tradução castelhana de György Ferdinandy,
Maria Teresa Reyes-Cortés e Jesús Tomé

Guilherme disse...

Chegou há pouco da escola, e eu disse-lhe:
- sabes, morreu a Rosa Lobato de Faria.
- eu sei, vi ontem no telejornal.
- e escreves-me alguma coisa sobre isso? Um texto pequenino sobre o que sentes.
- Está bem.Já to dou.
Filipa escreveu assim:
"Ontem no telejornal, vi que a minha escritora preferida, Rosa Lobato de Faria, tinha morrido. Fiquei muito triste porque tinha apenas 77 anos. Casou uma vez, e deixou 4 filhos e doze netos.
Comecei a gostar dela desde muito pequenina. Na escola, estivemos a ler e interpretar um dos seus livros que foi "A Erva Milagrosa". Um dia tivemos de fazer um trabalho sobre um escritor, e o meu grupo fez sobre Rosa Lobato de Faria. Nas novelas "Vila Faia" e "A minha sogra é uma bruxa" ela representava muito bem, eu gostava de a ver.
Sempre gostei muito dos seus livros, e gostava de ler o que a eitora "oficina do livro" vai lançar para a próxima semana. Escrito por esta escritora fabulosa, tenho a certeza que vai ser um sucesso. Nós vamos recordá-la muito".
Este texto é rigorosamente original e verdadeiro(confesso - corigi "fabolosa") e nada teria de especial, se a Filipa não tivesse apenas 10 anos...