quarta-feira, 11 de maio de 2011

Debate eleitoral

Ter alguns compromissos inadiáveis obriga a que não possamos ver programas televisivos a horas normais. Por isso, retirando longos minutos ao meu sono, entretive-me, com grande gosto, nesta madrugada, a ver a gravação, que passou na televisão, aqui em França, do debate eleitoral de que, a propósito da data de ontem, muito se falou. 

Devo confessar que fiquei impressionado: elegância, profundidade, acutilância e, acima de tudo, um sentido claro do interesse do país, na abordagem dos grandes temas importantes para a opinião pública. Um estimulante e educado combate de palavras, esclarecedor, que, imagino, terá proporcionado a quem viu e ouviu uma chave para a decisão no sufrágio.

Nesta rememoração que ontem se viveu, da eleição que, em 1981, levou François Mitterrand à presidência, foi para mim muito educativo poder apreciar, na íntegra, o seu derradeiro embate com Giscard d'Estaing, que só conhecia pela imprensa da época.   

8 comentários:

Anónimo disse...

Pelo menos dormiu enlevado...
Que bom gosto.
Isabel seixas

Anónimo disse...

esta tem "de l'eau dans le bec"... Bem apanhada!

Maria Climénia Rodrigues disse...

..Foi mesmo uma sorte sua, imagine que tinha ouvido um dos debates eleitorais que por cá se passam, decerto não dormiria enlevado, mas sim com alguns pesadelos....cumprimentos

patricio branco disse...

gostaria de ouvir um debate eleitoral francês, para comparar com os debates portugueses.
Não só o comportamento dos candidatos a debater, mas dos moderadores.
Aqui, a moderadora, só o é em 50%, nos outros 50% comporta-se como um 3º candidato, dando opiniões, insistindo nisto e naquilo, contraargumentando. É irritante.

Maria Climénia Rodrigues disse...

....Afinal não sou só eu que sofro,fico confortada,mas não conformada, aliás é coisa que nunca serei é ...conformada.... ainda sonho que este pesadelo acabe um dia em bem, os anos de obscurantismo já ficaram lá longe, agora é ter esperança de voltar a reerguer este País, o meu País com a sua dignidade, não se vislumbra bem como, mas a esperança é a última a morrer, e se todos quisermos talvez....talvez.... haja luz ao fundo deste pesadelo (desculpe o desabafo).........

Helena Sacadura Cabral disse...

Meu caro Patricio Branco
Para quem como eu anda nisto de tv há muito tempo, recomendo-lhe que esteja atento aos "planos" como são filmados os candidatos.
Percebe melhor o sentido das interrupções...
:))

Fernando B. disse...

Nessa altura, os politicos tinham estofo, cultura, vida, enfim...
Hoje, vão de jota em jota, seguem-se visitas às Distritais, como eles dizem " à carne assada ", e já está... Uns numa Secretaria de Estado, outros um Ministério, e um ou outro...S. Bento, pois então !

Anónimo disse...

Estava a pensar que do ponto de vista da otimização de recursos ,poderiamos desligar o som aos debates televisivos pré e peri campanha e saciar a nossa avidez de audição de expressões faciais ode em digrssão psicanalitica de autênticos contos de fadas poderemos reidealizar Alice no Pais das Maravilhas, Ali Bábá e os 40 ladrões, Branca de neve e os diversos anões,O "capuchino"(A absolvição do h é deliberada) vermelho...Oh!... And so on... Deixo algo para a minha querida e criativa Velha que muito estimo, apesar do anonimato...
Isabel Seixas