quarta-feira, 28 de maio de 2014

Ainda as Europeias

Estive ontem na SIC Notícias, como convidado de Ana Lourenço, para falar sobre as eleições europeias, em Portugal e no resto da União. A conversa pode ser vista aqui.

9 comentários:

Janus disse...

Vi. A presença/olhar da Ana Lourenço perturba um pouco... certo?...

São disse...

Obrigada por colocar o vídeo, pois ontem só o apanhei muito perto do fim.

Tem a certeza de que a Frente Nacional evoluiu positivamente? A minha impressão é a de que Marine Le Pen é mais sofisticada do que o pai , mas que no fundo são iguais nas ideias e nas políticas que defendem.

Não consigo perceber como é que um país como a França dá a maioria a um Partido , cujo Presidente afirmara dias atrás e publicamente que o ébola resolveria em pouco tempo o problema da emigração e que crê na desigualdade das raças.

Com o respeito que me merece Seguro, não apreciei o modo como se apresentou a candidato à chefia do PS nem aquilo que , pelo menos a mim, parece ser indefinição de caminhos e nem sei o que irá fazer quanto à moção de censura a apresentar pelo PCP.

Também não gostei de que se abstivesse na proposta do BE quanto à protecção "à irlandesa" de quem não tem emprego.

António Costa não é D. Sebastião , porém tem mais garra e foi lamentável em andar a avançar e a recuar. Agora parece que, finalmente, se decidiu.

Com todas as dificuldades que o senhor bem refere, não se entende, no entanto, como é que na conjuntura actual, o PS não consegue uma distância substancial da coligação nem o triunfalismo da noite das eleições.

Pedindo desculpa pelo tamanho do comentário, apresento -lhe os meus respeitos.

Anónimo disse...

No "31 da Armada":

"31 da Armada
a rosa no seu melhor

por João Ferreira do Amaral, em 28.05.14
De manhã, Seguro para Cavaco:
- Exigimos eleições antecipadas!
À tarde, Seguro para Costa:
- Eleições antecipadas? Era o que faltava!
Constatando o espaço que os graves problemas do nosso país ocupam nestas cabecinhas, não custa perceber como fomos parar à bancarrota."

Alexandre

Anónimo disse...

A Ana Lourenço com aquele modo languido vai aos pontos perturbadores do entrevistado, sempre com aquela exigência temporal terrífica. O marido deve ver-se atrapalhado…
antonio pa

ignatz disse...

aprecio esses tiques estalinistas, ajudam a perceber a tolerância de opinião dos apoiantes do seguro. nada que não se soubesse já e que não se maquilha com maneirismos, pseudo boas educações ou anedotas reader's digest. keep on going.

Defreitas disse...

Entrevista interessante, Senhor Embaixador. Permita, entretanto, que discorde também, como escreveu São, duma qualquer mudança de estratégia e ainda menos de ideias, de Marine le Pen em relação ao pai.

Creio que ela é muito mais perigosa para a democracia. Inteligente, menos agressiva mas capaz de valorizar argumentos... que são absolutamente falsos. Mas que os ignorantes apreciam. O FN continua a ser o ferro de lança do racismo, da xenofobia, do anti-semitismo e do populismo, explorando os pontos fracos da democracia e da UE, o que é fácil, visto o facto que desde há dezenas de anos que os partidos tradicionais de governo em todas as alternâncias do poder, em vários países, dos quais a França, não conseguiram resolver os problemas criados pelas crises. Porque é o sistema económico vigente que é preciso mudar e que ninguém tem a coragem de o fazer.

Direi mesmo que os problemas congénitos da criação da UE só podiam dar o resultado que se vive hoje. E quando um partido que nunca governou, que nunca foi exposto às dificuldades de governar, aponta sobre uma situação que tarda a ser sanada, todos os argumentos atingem o alvo daqueles que desesperam. E que são maioritariamente os mais desfavorecidos . 43% dos votos da classe operária foram para o FN, apesar dos 60% de abstencionistas.

Curiosamente, ninguém apontou o facto que nas localidades onde o FN ganhou as eleições de há 5 anos, este partido falhou estrondosamente a sua gestão e não foram reeleitos.

Sem dúvida, os partidos de governo, de esquerda e de direita, abriram um boulevard ao FN nestas eleições europeias, à força de descrédito e inoperância, mesmo de crises internas, particularmente à direita, em França. Que teria sido o escore do FN se as noticias avassaladoras que chegaram ontem aos ecrãs de televisão, tivessem chegado sábado passado, sobre o pandemónio do UMP, com facturas falsas, cifrando milhões de euros, e mesmo, segundo parece, e a justiça o dirá, desvios de dinheiro para os bolsos de alguns! E tudo isso para financiar a campanha de 2012 de Sarkozy!

Claro que no que concerne a França, começa a ouvir-se à direita alguns "kamikazes" que ousam avançar a eventualidade (desejo) de demissão de François Hollande . Com uma direita esfrangalhada e uma esquerda desmoralizada, seria abrir a grande porta do Eliseu ao partido fascista, num "remake" da semana do 11 a 15 de Janeiro de 1919 , da Republica de Weimar! Mas a França nunca se deixará ir até esse ponto.

Por isso creio que devemos continuar a ver o FN como é: Uma força bruta, com relentos nazis, pronta a apanhar o poder se os democratas se deixarem adormecer.

patricio branco disse...

efectivamente concordo,costa talvez se tivesse precipitado, seguro não perdeu mesmo com a vitoria pirrica (ms)e porque não esperar uns meses até um congresso onde tudo se ponha na mesa e se abra o jogo? mas o ps terá de começar a trabalhar já, fazendo exame de consciência, autoanalise, aceitando propostas para renovar os métodos de oposição, etc.
e também foram oportunas as contas, psd 22%, ps 32%, bem visto...

Anónimo disse...

Com esta tão elevada porcentagem de abstencionistas nestas eleições para o parlamento europeu é caso para recordar esta frase de Jacques Brel:
« Mettez 11 imbéciles d’un côté, 10 philosophes de l’autre... les imbéciles l’emporteront. C’est ça, la démocratie ! »
José Barros

Isabel Seixas disse...

Gostei muito da análise.

Também acho A Ana Lourenço uma presença bem bonita e inteligente, foi um prazer vê-los e ouvi-los.

No entretanto

deu Seguro à Costa
ou
deu à Costa Seguro?!...

Aguardemos os próximos episódios.