sábado, 4 de maio de 2013

Jogos de azar

Quando foi lançado, há quase 30 anos, o Totoloto tinha como slogan "é fácil, é barato e dá milhões".

Hoje, o moto aplica-se à Função Pública e aos reformados, enquanto alvos tributários. 

11 comentários:

Anónimo disse...

depois quem diz doidices é o dr. soares...

o problema é que aos portugues faltam muitas vezes.. esferas
digamos assim...





São disse...

O tiro ao alvo começou com Cavaco Silva: "Não vale a pena a aposentação dos funcionários públicos, pois temos que lhes pagar as reformas, Resta-nos só esperar que morram".

Segundo um deputado do PSD "o nosso país foi atingido pela peste grisalha".

Sugestão minha às cabeças iluminadas que outras luminárias colocaram à frente do país: atirar da Ponta de Sagres para o oceano todas as pessoas acima dos sessenta anos (o que me inclui), poupariam as balas do fuzilamento, pois estamos em contenção de despesas, e ficariam com as verbas para as quais descontámos uma vida inteira para negociatas tipo BPN, agora Galilei e semelhantes projectos.

Bom resto de dia.

Anónimo disse...

Quando os valores e os objetivos são o roubo, os alvos fáceis são os mais fracos e desprotegidos.

Admiram-se algumas pessoas, que apareçam nas aldeias mais recônditas, personagens bem falantes e bem vestidos a dizer aos velhinhos que as notas vão mudar...

Guilherme.

Isabel Seixas disse...

Subscrevo.

Anónimo disse...

Eles são pelas facilidades mas,já
houve quem os defenisse como calaceiros! O mago das Finanças é
um espanto!!!

margarida disse...

Bem 'apanhado', sim senhor...

isabel disse...

Boa!

isabel disse...

Boa! Pena ser verdade.

Anónimo disse...

Os funcionários públicos tornaram-se mesmo a "galinha dos ovos de ouro" do ministro das Finanças...
Já que a imaginação não dá para mais.

Digo imaginação porque não lhe reconheço capacidades intelectuais para tirar o país deste abismo.

Isabel BP

Anónimo disse...

Realmente é fácil... continuar a tirar aos funcionários públicos e reformados, pois são o elo mais fraco. Até dava para rir, se não fosse dramático. Incompetentes, estes dirigentes!

EGR disse...

Acerto total Senhor Embaixador