domingo, 12 de abril de 2015

Os submarinos voadores


Aquela minha amiga, figura pública do espetáculo bem conhecida, charlava com o taxista sobre a política caseira. Rapidamente percebeu que o discurso do motorista era "avançado" (para quem não saiba, é a expressão que, durante a ditadura, se utilizava para designar gente "bem à esquerda"). Depois de primeiramente zurzir, como é de óbvia regra, o inquilino cessante de Belém, vieram à baila as próximas eleições, E aí, ao nosso homem, virando-se para a passageira e com gesto largo de mãos, saiu-lhe esta:

- Ó minha senhora. O que eu gostava mesmo, para dar a volta a isto, é que os comunistas ganhassem. Aí sim, até os submarinos voavam! 

5 comentários:

Correia da Silva disse...


Sem comentário.


















Anónimo disse...

É verdade. É de todo incompreensível que um eminente funcionário do Alto-Comissariado das Nações Unidas, residente em Genebra, só agora tenha comunicado o seu desinteresse em celebrar contrato de arrendamento a termo certo com o palácio de Belém, sem o prévio consentimento e informação ao Dr. Marques Mendes. É que no reino do delírio tudo, mas tudo, deve continuar a ser permitido.

Ésse Gê (sectário-geral) disse...

Sim, mas voavam baixinho...

Anónimo disse...

Tudo rola para levar Marcelo a Belém...aposto uma Barca Velha 2004!e, claro, sem o meu voto ! só votaria em tal animador em legitima defesa ! Como? Marcelo e Portas à 2ª volta !!! nesse caso, votaria e colocava no meu carro uma amplificação sonora para ajudar campanha!
Agora mais a sério... Ninguém responde a Guterres sobre as obrigações para com País e Partido ? Se não fosse o Partido seria um Explicador de Matemática, convém não esquecer!

Carlos Andrade - Espinho

jose Martins disse...

Senhor Embaixador,
Seriam então submarinos/torpedos, voadores e não submersíveis!
Saudações de Banguecoque