quarta-feira, 22 de abril de 2015

Os comentadores económicos

Com o debate que aí vai sobre o documento económico apresentado pelo PS, dei-me conta de que há dois grupos bem distintos de comentadores: aqueles que são "próximos dos socialistas" e os "independentes". 

Não faltará ninguém?

4 comentários:

Anónimo disse...

Saiu-lhes um osso duro de roer.

Trigo Pereira é professor de finanças públicas. Era por ele que eu ia procurando perceber como ia o deficit; e sabe defender-se.

Mário Centeno é aquele que Carlos Costa impediu de ser economista-chefe do BP.

Não vai ser fácil desarticularem o documento.

Anónimo disse...

Sempre achei que esta é uma crise de consumo. Se a procura não pressionar a oferta, se as empresas não venderem, os investidores não investem. Foi o que aprendi em Economia com o perigoso economista esquerdista Lumbrales. E parece-me ser isso que o cenário do PS pretende resolver.
Fernando Neves

Anónimo disse...

O Centeno (Rato Mickey) não explicou onde vai buscar o dinheiro para a segurança social dos pensionistas... ao tio (UE)......
A mesma pergunta para os seus "amigos" do actual Governo.
Portugal traduz actualmente o filme dos irmãos Cohen: Este Pais nao e para velhos....excepto para os que todo mundo sabe....

Anónimo disse...

O perigoso esquerdista Lumbrales certamente terá ensinado que a quebra do consumo pode não ser exclusivamente por falta do vil metal, mas por quebra abrupta de confiança no próximo futuro. É isso que justifica o aumento da poupança verificada. Por outro lado o consumo em Portugal significa aumento de importações e a sua quebra justifica a melhoria na balança de pagamentos. Tendo já sido feita a experiência, durante mais de dez anos de crescimento na base do consumo, com os resultados de todos conhecidos, o que autoriza agora a esperança de um mundo melhor ?
João Vieira, independente encartado