quarta-feira, 22 de abril de 2015

Democracia(s)


Contado por um amigo alemão, num jantar na noite de ontem.

Falava ele com um militar e fez-lhe notar que era incoerente que um exército moderno mantivesse uma estrutura interna quase "ditatorial", com uma pressão hierárquica esmagadora e uma pressão psicológica sobre os soldados às portas da violência e da humilhação.

O militar foi muito claro: "Nós existimos para proteger a democracia, não para a praticar".

Ficou tudo dito!

6 comentários:

Joaquim de Freitas disse...

Interessante este "post" Senhor Embaixador ! "O militar foi muito claro: "Nós existimos para proteger a democracia, não para a praticar".

Ficou tudo dito!"

O problema é ,quando ,"para proteger a democracia", os militares esmagam as liberdades "democráticas". Há tantos exemplos nesse vasto mundo. Sobretudo quando as grandes potências declinam a "real politik", a sacrossanta geo estratégia , que as leva a interferências inaceitáveis abstendo-se de falar de golpe de Estado, mas escolhendo os militares contra a democracia e a sua intrusão na política.

Anónimo disse...

Trata-se da habitual (e nociva) contradição de que o rigor, a competência, exigência e a responsabilidade, são incompatíveis com a democracia. Como se vê por cá a "democracia" está generalizada…

Anónimo disse...

a democracia cultiva-se omni pars ou não o é.

daí a importância de forças policias e justiça respeitadoreas das liberdades cívicas.

o que em Portugal são espremeres de mamas de enfermeiras, são doçuras perante os musterungs, designadamente alemães - mas tb os portugueses.

São disse...

Perigosa essa maneira de pensar!!!

Acabei de ler um livro sobre a ditadura militar dos anos sessenta do século XX no Brasil , pelo que fico (ainda mais )estarrecida com cartazes em inglês nas actuais manifestações a pedir a intervenção das Forças Armadas.

Como se pode proteger algo que se não pratica ?!

Bom dia

LF disse...

A hierarquia e da disciplina não serem exclusivas das instituições militares, são instrumentos de gestão nas empresas. São potencializadas e alcançam relevância,também nas empresas rigorosamente organizadas com base na hierarquia e na disciplina. Então porque se faz referência apenas à disciplina e a hierarquia na vida militar. Apesar disso na condição de princípios, devem ser sopesados em cada circunstância concreta, quando demonstrarem incompatibilidade com princípios constitucionais. É o estilo de gestão em si mesma que pode ser democrática ou autocrática não a instituição, nomeadamente a Instituição militar.

patricio branco disse...

a regras democráticas na pratica militar não se aplicam, embora os ddhh devam ser respeitados. a hierarquia é um pilar das ffaa, creio